Campanha da Fraternidade 2019 pede: Fraternidade e Políticas Públicas

Com o objetivo de chamar a atenção da população para a atual situação do Brasil e planejar o futuro, para que haja justiça, paz e o fim das desigualdades que assolam os mais pobres, a Igreja lança hoje (6/3) em todo o país, a Campanha da Fraternidade (CF) 2019, que traz como reflexão: Fraternidade e Políticas Públicas. 

Conduzido pelo lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27), a proposta da CF deste ano convida-nos a compreender: O que são políticas públicas? Como são construídas? Quais os benefícios elas trazem? Como podemos contribuir com estas articulações? 

Para responder à estas questões, durante todo o período quaresmal a Igreja fará ações de sensibilização e conscientização sobre o tema levando até as comunidades formações e outras articulações com o intuito de facilitar a compreensão sobre a importância das políticas públicas para que a população possa assumir o seu papel na sociedade e reivindicar que essas articulações sejam utilizadas para o bem comum. 

“A participação da comunidade através dos mecanismos de participação e fiscalização da gestão pública, como conselhos existentes nas três esferas de governo deveria fazer parte do cotidiano de cidadãos e cidadãs. É por meio desses movimentos que a nossa voz é ouvida e é aqui que podemos somar forças para diminuir as desigualdades. É importante compreender que política pública é diferente da política partidária e precisamos conscientizar a população de que não podemos simplesmente delegar essa tarefa apenas à algumas pessoas e aguardar pelas mudanças. É preciso participar, ter voz ativa e se fazer ser ouvido pelo poder público”, diz o Bispo da Diocese de Três Lagoas, Dom Luiz Gonçalves Knupp. 

Neste período de divulgação e explanação sobre o tema, o intuito é que as comunidades busquem em suas cidades reconhecer os mecanismos de participação popular, notadamente a existência de conselhos municipais vigentes e sua forma de atuação, as ações que intermediaram no município, bem como compreender quais seus direitos, deveres para que a sociedade possa auxiliar nas próximas reivindicações e no cumprimento dos projetos. “As pessoas sabem que têm direitos, mas não sabem como se organizar para reivindicar e fazer com que o bem comum realmente aconteça. É para auxiliar na fraternidade e na cultura da paz que a Igreja incentiva a conscientização e a participação da comunidade nas políticas públicas”, diz Dom Luiz. 

Importante saber! 

As políticas públicas representam soluções específicas para necessidades e problemas da sociedade. São ações do Estado, que busca garantir a segurança e a ordem por meio da garantia dos direitos, e expressam, em geral, os principais resultados oriundos da presença do Estado na economia e na sociedade brasileira (CNBB, 2018, n. 15). 

Somente no município de Três Lagoas, são 16 Conselhos Municipais vigentes. Essas organizações são compostas por representantes da prefeitura e da sociedade civil que deliberam e fiscalizam a gestão do orçamento público, além de possuírem papel decisivo na implementação e efetivação de políticas públicas que garantam os direitos dos cidadãos. 

Para refletir: Quantos conselhos você conhece? Quais deles te representa? O que eles fizeram para o bem comum? Onde podemos dialogar com eles? Quais políticas públicas você conhece? Você acompanha a gestão de seu município?

Vamos buscar juntos essas respostas? 

Onde saber mais? 

Na Diocese de Três Lagoas, as 15 paróquias, localizadas nas dez cidades que compreendem o território diocesano, receberam materiais de apoio sobre a Campanha Fraternidade 2019 e divulgarão as datas das formações. 

Além de buscar conhecimento nas Igrejas e pastorais, quem desejar saber mais pode acessar o site da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O portal pode ser acessado por meio do endereço http://www.cnbb.org.br/ 

Sobre a Diocese de Três Lagoas 

A Diocese de Três Lagoas (Dioecesis Trilacunensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica com sede episcopal em Três Lagoas (MS). Foi criada pelo Papa Paulo VI em 3 de janeiro de 1978. Abrange um total de 10 cidades (Três Lagoas, Selvíria, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Água Clara, Brasilândia, Chapadão do Sul, Santa Rita do Pardo, Inocência e Cassilândia), e contempla 15 Paróquias com mais de 108 capelas/comunidades.