Profissionais da educação conheceram alimentos que contribuem para a manutenção da voz

A Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems) realizou, na última quinta-feira (14), uma aula de culinária para professores, no Centro de Prevenção. A oficina teve foco em alimentos que promovem o fortalecimento da saúde vocal, com frutas cítricas e chás.

A beneficiária Lucimeire Silva Borges afirma que tem problemas com a voz há anos. “Talvez, se eu tivesse tido acesso à essa prevenção no passado, não tivesse desgastado tanto a minha voz. A Cassems está de parabéns. O que me chamou atenção são as misturas de algumas coisas, o sabor é único. Vou usar as bebidas que aprendi todos os dias”.

Ruth Soares, beneficiária Cassems e profissional da educação, segue a dieta vegana e salienta que as explicações do nutricionista foram ao encontro com as suas práticas cotidianas, como quando aprendeu sobre suchás, que são chás batidos com frutas. “As horas que passei aqui foram muito importantes. Gostei bastante de aprender sobre a salada de quinoa e os suchás”.

Para Ben Hur Barbosa, o diferencial da Cassems é a sequência de atividades. Há algumas semanas, foi realizada uma roda de conversa com professores sobre a saúde da voz e, à partir das necessidades levantadas, aconteceu a aula de culinária. “É bacana que a nossa voz seja vista com o um instrumento de trabalho importante, então, cuidar dela é, sem dúvidas, primordial. Aprendemos receitas práticas, com custo não muito elevado”.

O nutricionista Gabriel Borges, responsável pelo curso, preparou gelatinas, suchás e salada de quinoa. De acordo com o profissional, os alimentos cítricos são aliados da saúde vocal. “Também, utilizamos alimentos que estimulam a produção salivar, fontes de vitamina C, que são os frutos cítricos, como laranja, limão e maçã verde. Apresentamos a alternativa do suchá para os profissionais. Então, o professor pode deixar um chá gelado na geladeira e, antes de ir para a aula, bater a bebida com uma fruta, na intenção de introduzir isso na alimentação diária”.