As empresas credenciadas no Estado realizaram em outubro deste ano 13 mil vistorias – Divulgação

Com a chegada do fim de ano e aquecimento da economia, a procura por vistorias veiculares deve crescer até 20%, a partir desta segunda quinzena. “Com o pagamento do décimo terceiro salário e muitas pessoas que se programam ao longo do ano para trocar seus veículos, as vendas aumentam. E mesmo a compra do carro zero reflete, porque via de regra o usado entra no negócio e também é comercializado”, explica o presidente da Assovis (Associação das Empresas de Vistoria de MS), Ruy Coutinho.

No mês passado, outubro, as empresas credenciadas no Estado realizaram 13 mil vistorias. Apesar do aumento do fluxo previsto para este período, Ruy lembra que as credenciadas estão preparadas para atender à demanda, oferecendo aos proprietários a vantagem de um processo altamente tecnológico, com sistema digital de inclusão das informações que garante confiabilidade e otimiza a base de dados do Estado. Além disso, o atendimento em localizações estratégicas, podendo o proprietário escolher o endereço que melhor se ajuste à sua rota. Só em Campo Grande são 11 empresas e em todo Estado 39.

Prevista pelo Código de Trânsito Brasileiro e regulamentada pela Resolução Nº 466/2013 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a vistoria veicular é exigida em algumas situações específicas, com objetivo de garantir a autenticidade da identificação do veículo e da sua documentação; a legitimidade da propriedade; se os veículos dispõem dos equipamentos obrigatórios, e se estes estão funcionais; se as características originais dos veículos e seus agregados foram modificados e, caso constatada alguma alteração, se esta foi autorizada, regularizada e se consta no prontuário do veículo na repartição de trânsito.”

A transferência de propriedade e mudança de domicílio do proprietário (para um novo município) são casos em que é necessário expedir um novo registro, conforme previsto nos incisos I e II do artigo 123 do Código de Trânsito. Também é necessária na emissão de segunda via do DUT (Documento Único de Transferência).

Vistoria Cautelar – No caso das vistorias cautelares, o aumento também deve ficar em até 20%. “É uma vistoria mais específica mas também registra um crescimento nesse período do ano”, Lembra Ruy.  É um serviço também oferecido pelas empresas de MS e garante a procedência do automóvel, evitando, ainda, que o comprador tenha problemas que vão desde prejuízos financeiros, ser responsabilizado por algo ilegal que o veículo tenha se envolvido ou até responder criminalmente a processos, como o de receptação, caso o veículo seja um produto de furto ou roubo. A vistoria cautelar é prevista por Lei Federal 13.111, que obriga as empresas a oferecerem o laudo.  Por segurança, a Assovis recomenda que esse documento também faça parte da rotina de venda entre pessoas físicas.

Serviço – Encontre a empresa de vistoria veicular mais próxima no site https://assovisms.org.br/