Seja por causa da violência e o medo de andar com grandes quantias, seja pela característica de ser um país “novidadeiro”, o Brasil já possui uma extensa rede comercial de estabelecimentos e empresas virtuais que aceitam pagamento sem a necessidade de que ele seja em espécie.

No ramo de serviços ou vendas, já há inúmeras empresas que recebem através de várias formas de pagamento. As mais comuns, além dos já conhecidos cartões de crédito ou vales refeição, são via sites, como por exemplo, bitcoins, créditos convertidos e, uma pequena inovação nos cartões, o crédito pré-pago.

Sites como o PayPal ou o PagSeguro são usados frequentemente como intermediadores na compra de ingressos de shows, reservas de hotéis, passagens aéreas, além da compra de livros, DVDs ou roupas. Quanto maior for a variedade de créditos, mais chance tem o comerciante virtual de chegar até os clientes mais distantes.

Empresas que lidam com tecnologia recebem com tranquilidade transações em bitcoins – houve até promoções de sites que davam ao ganhador um prêmio na moeda virtual – ainda pouco comum no dia a dia. Mas cartões de crédito recarregáveis são aceitos até em sites internacionais, o cliente só precisa colocar crédito antes de usar.

Sites de delivery de alimentos – que funcionam através de aplicativos, como o PedidosJá – recebem pagamentos diversos, não é necessário que o cliente pague apenas em espécie. Além disso, como o pagamento em dinheiro tem se tornado cada vez menos frequente, mais da metade dos estabelecimentos cadastrados aceitam pagamentos online! O Uber começou funcionando apenas com cartão, mas já abriu o leque de opções, facilitando o acesso a qualquer cliente, inclusive com permuta com outras empresas.

Os celulares são usados cada vez mais em transações financeiras, seja diretamente nos aplicativos bancários, seja utilizando as companhias telefônicas. A fatura do celular ou telefone fixo serviria como “banco”, podendo pagar um cafezinho, um estacionamento ou uma compra no shopping. O fenômeno só tende a crescer, aumentando o crédito e facilitando o acesso de diversos tipos de consumidores.