Odilon concedeu entrevista à rádio Caçula, de Três Lagoas, e falou de carta de compromissos com o funcionalismo – Foto: Assessoria

Durante visita à Costa Leste, o candidato ao governo do Estado pelo PDT, juiz Odilon de Oliveira reforçou a importância da valorização do funcionalismo para garantir a qualidade dos serviços públicos prestados à sociedade. “A minha política será a valorização dos servidores públicos. Porque, valorizando, nós vamos estar preparados para prestar um serviço público de qualidade para a sociedade”, garantiu.

O pedetista concedeu entrevista à rádio Caçula, de Três Lagoas, na manhã desta quarta-feira, 25, e citou a reunião com integrantes da direção do Fórum dos Servidores de Mato Grosso do Sul, realizada no dia 21 de setembro, para a assinatura de uma carta compromisso para beneficiar as categorias.

“Na semana passada, eu assinei com os servidores públicos um compromisso. O atual governo deu um reajuste de 2,94% só. Logo em seguida, reformou a Previdência Social, com a alíquota que foi de 11% para 14%. Então, isso já modificou o aumento. Não significou mais nada. No período do governo atual, a inflação girou em torno de 26%”, explicou Odilon sobre a situação enfrentada pelos trabalhadores.

“Com o reajuste (menos de 3%), a defasagem ficou em torno de 23%. O compromisso que eu fiz com os servidores de todas as categorias é fazer essa reposição. Mas, não toda de uma vez só, porque a parte financeira do Estado não comporta. Depois, tem a Lei de Responsabilidade Fiscal. Vamos dar os aumentos em relação à inflação e depois ir fazendo esse abatimento dos 23%, que foi um prejuízo”, detalhou o pedetista. A legislação impõe um limite de comprometimento da receita corrente líquida do Estado para os gastos com pessoal.

“Outra coisa que assinei e vou cumprir com todos os servidores é o diálogo. O governador não governa para si, governa para o povo. Os segmentos da sociedade têm de ser atendidos. Os representantes dos servidores têm de encontrar a porta do governadoria aberta para o diálogo. Eu quero, com isso, substituir aquelas bombas e aquelas balas de borracha que o governo velho usa quando tem greve justa dos funcionários. Eu vou substituir tudo isso por diálogo. Senta, conversa e resolve”, disse o candidato, referindo-se à maneira como os servidores foram tratados pela atual gestão do governo do Estado.

Da Assessoria