Após 18 dias da tragédia, ainda há 160 desaparecidos – Divulgação/Corpo de Bombeiro

Subiu para 165 o número de mortos pelo rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho (MG). Há ainda 160 desaparecidos, segundo informou neste domingo, 10, a Defesa Civil de Minas Gerais.

Os trabalhos de buscas pelas vítimas que ainda estão desaparecidas por entraram no 18° dia nesta segunda-feira (11). Mais uma vez os trabalhos se concentram na usina ITM, no setor administrativo – refeitório, casa e estacionamento – e nas áreas da ferrovia e de acúmulo de rejeito. No total, 35 equipes estão em campo desde a manhã de hoje. São 352 militares: 150 de Minas Gerais, 129 de outros estados, 64 da Força Nacional e nove voluntários.

Segundo a Agência Brasil, onze aeronaves, 35 máquinas e 19 cães farejadores também estão sendo utilizados. Segundo o último balanço da Defesa Civil de Minas Gerais, divulgado no início da tarde deste domingo, nove corpos ainda não foram identificados, duas pessoas seguem hospitalizadas e 138 estão desabrigadas.

Inspeção

Também neste domingo a Barragem Sul Superior da Vale, em Barão de Cocais, na região central de Minas, passou por inspeção técnica para avaliar a segurança da estrutura. Por causa do risco do rompimento, moradores do entorno da barragem tiveram que sair de casa às pressas na madrugada da última sexta-feira (8).

A vistoria, segundo a Vale, vai avaliar novamente as condições de segurança, para a Agência Nacional de Mineração (ANM) verificar se muda ou não o alerta de rompimento da barragem. Não há prazo para que o novo parecer seja emitido. Ainda segundo a mineradora, até a emissão desse novo laudo o nível de alerta permanecerá como “nível 2”.