Trump, por sua vez, afirmou que diálogo comercial continuará – Foto: EPA

Os Estados Unidos e a China encerraram nesta sexta-feira (10) uma rodada de negociações comerciais consideradas como “construtivas” pelo secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, mas sem acordo sobre o aumento de tarifas a produtos chineses impostas pelo presidente Donald Trump. “Houve discussões construtivas de ambos os lados”, ressaltou Mnuchin ao término do encontro em Washington. Participaram da reunião, o principal negociador da China, o vice-primeiro-ministro Liu He, o chefe de comércio exterior dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro. Segundo a Bloomberg, citando fontes próximas às negociações, o governo norte-americano reforçou que Pequim tem de três a quatro semanas para chegar a um acordo, caso contrário, serão cobrados outros US$350 bilhões em ativos da China. Nesta sexta-feira (10), passaram a valer as novas tarifas de 25% impostas pelos Estados Unidos sobre cerca de US$200 bilhões de produtos chineses. A decisão representa uma escalada de tensão comercial com Pequim, que reflete nos mercados mundiais.

No entanto, em sua conta no Twitter, Trump afirmou que o aumento das tarifas irá fortalecer o país. Além disso, ele ressaltou que, ao longo dos últimos dois dias, os dois países “realizaram conversas espontâneas e construtivas” sobre a relação comercial entre ambos e que o diálogo continuará futuramente. Apesar da conversação, “Os Estados Unidos impuseram tarifas à China, que podem ou não ser removidas, dependendo do que acontecer em relação às futuras negociações”, acrescentou.

Por fim, o republicano disse que a relação entre ele o presidente da China, Xi Jinping, “continua muito forte”.

Da AnsaFlash