Mudanças simples podem garantir menos efeitos no organismo

Nos dias de baixa umidade do ar, a alimentação pode fazer toda diferença. Campo Grande tem registrado umidade do ar abaixo dos 60% recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que acaba acendendo o sinal de alerta.

Coordenadora do curso de Nutrição da Estácio Campo Grande, a professora Camila Morais explica que a alimentação balanceada e hidratação são fundamentais para manter a saúde, nesta época do ano.

“Nesse período, é comum nos sentirmos mais cansados e indispostos. O ideal é dar preferência para refeições mais leves, com verduras, legumes, alimentos que tenham uma digestão mais fácil”, explica.

Outra dica é consumir alimentos específicos que podem contribuir para amenizar os efeitos do tempo seco. Alimentos ricos em enxofre ajudam a descongestionar as vias respiratórias, pois evitam o muco provocado pela poluição. Aliado ao consumo de água, o enxofre torna mais fácil a eliminação deste muco nas vias respiratórias. Entre os alimentos que podem ser consumidos com esta finalidade, estão gengibre, cebola, alho, batata doce, salsinha e cebolinha.

Além de garantir a hidratação, beber bastante água também ajuda a aliviar a irritação na garganta. Para quem não tem o hábito de ingerir água com frequência, uma opção é recorrer às opções saborizadas. “Basta adicionar folhinhas de hortelã, cascas de laranja ou limão, erva cidreira, gengibre, cravo ou canela, por exemplo”, ensina a nutricionista.

Outra importante fonte de hidratação são as frutas. Laranja, melancia e melão, por serem compostas basicamente de água, são as que mais têm efeito positivo no auxílio a hidratação. As frutas são ainda ricas em vitaminas e minerais, que colaboram para manter a hidratação, inclusive a da pele.

Exercícios Físicos

Não é só com a alimentação e hidratação que os cuidados devem ser redobrados. Também é necessário, em alguns casos, modificar a rotina de exercícios para não sofrer com os efeitos do tempo seco.

As atividades físicas devem ficar concentradas até as 9h ou mais para o fim da tarde, após as 16h. “Quem gosta de fazer exercício ao ar livre deve dar preferência aos parques e proximidades de lagoas, por exemplo. A recomendação é evitar áreas mais poluídas”, recomenda o professor do curso de Educação Física da Estácio Campo Grande, Nelson Thiago.