Temer se reunirá hoje com Trump e abordará crise venezuelana

Encontro incluirá líderes latinos e ocorrerá em Nova York

O presidente Michel Temer e outros líderes latino-americanos terão um encontro nesta segunda-feira (18) com o norte-americano Donald Trump, em Nova York. Eles serão recebidos em um jantar, à véspera da Assembleia-Geral das Nações Unidas.

Mas o magnata republicano pretende aproveitar o encontro para instruir os mandatários da América Latina com medidas sobre como resolver a crise política na Venezuela. Segundo fontes da Casa Branca, Trump incentivará os líderes regionais a pressionarem o regime de Nicolás Maduro para restaurar as instituições democráticas.

Participarão o jantar, além de Temer, o colombiano Juan Manuel Santos; o panamenho Juan Carlos Varela; e a vice-presidente argentina, Gabriela Michetti. O peruano Pedro Pablo Kuczynski cancelou a viagem devido à crise política interna. O jantar ocorrerá no hotel Lotte New York Palace, que fica a poucas quadras da Trump Tower, residência do magnata na cidade.

Em declaração à ANSA em maio, o chanceler brasileiro, Aloysio Nunes, defendeu a necessidade do Brasil aumentar a pressão contra a Venezuela para tentar solucionar a crise.

No mês passado, a ex-procuradora-geral da República venezuelana Luísa Ortega Díaz, uma dissidente do chavismo, esteve em Brasília para discutir a crise em seu país com os líderes brasileiros. Ela fora afastada de seu cargo por decisão da nova Assembleia Constituinte, formada após uma polêmica eleição convocada por Maduro e contestada pela oposição e pela comunidade internacional.

Amanhã, Temer fará o discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU, como é costume desde 1947, quando o diplomata brasileiro Oswaldo Aranha fez seu pronunciamento na reunião mais importante do organismo.

Da AnsaFlash