Treze auditores estaduais de controle externo do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul concluíram nesta quarta-feira, 31 de julho, o 1° curso de Formação de Instrutores e Facilitadores, realizado na Corte de Contas por meio da Escola Superior de Controle Externo, nos meses de junho e julho.

O curso, inédito no TCE-MS, apresentou aos auditores, que já são e aos que pretendem ser instrutores de cursos e palestras, uma metodologia americana para o preparo de aulas expositivas, cursos, palestras, reuniões e seminários com a aplicação de técnicas de instrução, comunicação verbal e não verbal, exposição oral, crítica, resolução de conflitos e plataforma.

No decorrer das aulas os alunos aprenderam sobre o papel do instrutor, recursos instrucionais, formulação de objetivos, elaboração de slides, elaboração do plano de aula, construção de itens para teste, linguagem didática, comunicação verbal e não verbal, expressão oral e técnicas de apresentação como olhar, gesticulação, postura, apresentação pessoal, entre outras.

O curso de formação e padronização de instrutores e facilitadores é baseado em uma metodologia internacional, alicerçado na Taxonomia de Bloom, metodologia americana que trata dos Domínios de Aprendizagem (cognitivo, afetivo e psicomotor). A metodologia preconiza também que o objetivo da apresentação deve ser formulado sempre com base em um destes domínios e toda a apresentação deve ser elaborada levando em consideração o objetivo formulado, cujo nome é Objetivo Operacionalizado ou Objetivo Específico. Logo, em função desta metodologia, o Instrutor deve elaborar sua apresentação com o foco de que é o aluno quem tem que atingir, ao final da exposição, o objetivo proposto. Nunca deve ser o instrutor a alcançar este objetivo, mas sim sempre o aluno. O foco sempre é a retenção do conhecimento pelo aluno.

Todos foram avaliados por meio de um trabalho de conclusão de curso (TCC) e uma apresentação individual de 10 minutos, com tema livre, onde demonstraram na prática todas as técnicas de plataforma, apresentação oral, estrutura da apresentação e exposição das ideias vistas durante o curso. Ana Cláudia Pilla, auditora de controle externo do TCE-MS, disse que ficou surpresa com o curso. “Ele nos trouxe muita vivência profissional. Serve também para relações interpessoais no trabalho, de liderança. Mostrou-nos que a informação pode ser passada de muitas formas e isso vou levar para todas as palestras que for fazer daqui para frente. Tenho a segurança agora de poder representar bem o TCE-MS em qualquer situação”.

Sentimento compartilhado pela também auditora de controle externo Janice Rodrigues dos Santos. “Sem dúvida, foi muito bom para o nosso crescimento. Aprendemos técnicas de forma lúdica e clara. Vamos enriquecer muito as nossas aulas que serão mais produtivas, claras e proveitosas para a sociedade.”

Durante as apresentações foram avaliados os itens inibição, emotividade, contato visual, movimentação, gesticulação, entonação, ritmo da fala, apresentação pessoal, estrutura da exposição, apresentação das ideias, normas gramaticais, entre outros. A Coordenadora pedagógica da Excoex, Serley Santos Silva, avalia os resultados. “Os alunos evoluíram muito durante as seis avaliações realizadas ao longo desse período. Foi notória a evolução em cada exercício e apresentação até chegarmos aqui no TCC com excelência.”