Expectativa é que o debate sobre a condenação do ex-juiz seja menos conturbado caso, até lá, Lula já tenha sido solto

Sérgio Moro terá sua conduta como juiz avaliada pelo STF – Foto: Marcelo Camargo/ABr

O julgamento da suspeição de Sérgio Moro deve ser pautado para a segunda quinzena de novembro na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal.

A expectativa é que o debate sobre a condenação do ex-juiz seja menos conturbado caso, até lá, Lula já tenha sido solto, segundo a colunista da BandNews FM, Mônica Bergamo.

A hipótese é considerada provável, já que a tendência é o STF declarar a inconstitucionalidade da prisão depois de condenação em segunda instância, o que levará à liberdade do petista. “No dia 6 de novembro, o Supremo deve encerrar a votação e a tendência clara do tribunal é derrubar essa regra de prender as pessoas depois da condenação de segunda instância e, portanto, soltar o ex-presidente Lula e outros mais de 4 mil presos”, explicou a jornalista.

Com o ex-presidente solto, o julgamento da suspeição do atual ministro da Justiça e Segurança Pública se voltará exclusivamente à sua postura como magistrado. “Na segunda quinzena de novembro esse processo deve entrar na pauta da segunda Turma. O resultado do julgamento do Moro não vai mais afetar diretamente a condição carcerária do ex-presidente, porque o foco passará a ser o ex-juiz, suas ações, suas decisões, suas condutas e seu envolvimento com os acusadores”.

Bergamo também salientou as consequências que o ex-juiz enfrentará caso seja confirmada a suspeição. “Para ele, que já está fora da carreira, não acontecerá nada em termos de punição concreta. A única consequência será ficar com uma mancha na carreira ou com uma consagração definitiva”.

Ouça aqui o áudio na íntegra!

Da BandNews FM