Soja sob medida para a região fria do Brasil

Sanidade e produtividade na cultivar BRS 5804RR

Cultivar de soja BRS 5804RR – Assessoria/Embrapa

A cultivar de soja BRS 5804RR é o lançamento da Embrapa para a região fria do Brasil. Um dos destaques da cultivar é a resistência à podridão radicular de fitóftora, problema recorrente nas lavouras da Região Sul. O potencial de rendimento da soja está acima de 100 sacas por hectare.

A soja é a maior fonte direta de renda em cultivos de grãos no Sul do Brasil. Os excelentes preços recebidos pelos produtores nos últimos anos aceleraram a incorporação de inovações envolvendo cultivares cada vez mais precoces, antecipação de épocas de semeadura, arranjos de plantas mais precisos e novas estratégias de proteção de plantas. Atender as novas exigências dessas condições de cultivo passou a ser crucial para a presença da Embrapa no mercado de tecnologias.

Nos últimos 20 anos, a taxa de crescimento da área de soja no Rio Grande do Sul foi 3,9% enquanto que a produção cresce 10,4% a cada ano.  O incremento na produtividade foi de 57,5 kg/ha por ano. Atualmente, são cultivados 5,8 milhões de hectares de soja no RS, com 134 cultivares disponibilizadas por seis obtentores, os quais correspondem 90% do mercado. Para participar desse mercado, as cultivares da Embrapa Trigo precisaram reunir características demandadas pelo produtor e pelos sistemas de produção da região, aliando alto potencial produtivo, precocidade, arquitetura compacta e sanidade, especialmente radicular.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Trigo, Paulo Bertagnolli, um dos diferenciais da cultivar BRS 5804RR é a amplitude de semeadura, adaptada a plantios tanto no início quanto no final da época recomendada, quando demonstrou diferencial significativo em produtividade comparada a outros materiais de mesmo ciclo. “A cultivar foi testada em 22 locais durante três anos e mostrou-se realmente superior às testemunhas, com rendimentos que ultrapassaram os 6 mil kg/ha”, conta o pesquisador, lembrando que a ampla janela de semeadura permite o escalonamento de plantio ou mesmo o replantio em situações de adversidade climática.

Um dos principais problemas nos cultivos de soja na Região Sul é a podridão radicular de fitóftora, que implica na morte de plantas na fase inicial da lavoura. A cultivar BRS 5804RR é resistente à fitóftora, problema recorrente em solos com excesso de umidade e áreas sem rotação de culturas.

Além da sanidade de raíz, a alta produtividade da BRS 5804RR também resulta do elevado peso de mil grãos (PMG 210 g), em plantas de porte médio que apresentam vagens com quatro grãos.

A cultivar está indicada para a região Macrorregião Sojícola 1, que abrange os estados do RS, SC e regiões frias do PR e SP.

Avaliação do produtor

O produtor Daniel Celso apostou na multiplicação da soja BRS 5804RR em 34 hectares de lavoura em Sarandi, RS. Com acompanhamento técnico da cooperativa Cotrisal, a cultivar BRS 5804RR, semeada em 20 de novembro, surpreendeu no arranque inicial, se destacando em meio a seis cultivares de soja, com ciclos que variam de super precoce a tardio. “A soja mostrou um vigor que chamou a atenção”, conta Daniel.

Apesar da estiagem que assolou muitas lavouras no RS na última safra, a cultivar BRS 5804RR apresentou rendimentos na média de 50 sacos por hectare (sc/ha), enquanto a estimativa no estado é encerrar a colheita com média de 35 sc/ha.

Na multiplicação da Sementes Tombini, em Carazinho, RS, a soja BRS 5804RR chegou a 72 sc/ha na área de 40 hectares onde esteve em cultivo nesta safra 2019/20. Já na Agrícola Fenner, em Santa Rosa, RS, a cultivar apresentou rendimentos próximos aos 50 sc/ha, afetada pelo déficit hídrico e as altas temperaturas.