Sindicatos industriais de Dourados conhecem serviços e portal da transparência do Sesi e Senai

Os representantes do Simmme (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais Elétricos de Grande Dourados) e Sinvesul (Sindicato das Empresas do Vestuário Industrial, Fiação e Tecelagem da Região Sul do Estado) conheceram, durante reunião realizada na noite desta quinta-feira, 17, em Dourados (MS), os serviços e soluções em tecnologia, educação e saúde e segurança do trabalho do Sesi e Senai, além do Portal da Transparência das duas casas. Essas apresentações já foram realizadas para os representantes dos sindicatos industriais de Corumbá (26/07) e Campo Grande (09/08) e a próxima será em Rio Verde com data a definir.

Para o presidente do Sinvesul, Egon Hamester, é sempre produtivo receber informações sobre os serviços disponibilizados pelo Sesi e Senai para as indústrias locais. “Foi uma ótima reunião e já aproveitei para repassar as informações para as empresas associadas ao Sinvesul. Os nossos associados ficaram muito interessados nos serviços e devem procurar os responsáveis pelo Sesi e Senai em Dourados para contratar as consultorias”, detalhou.

O gerente do Sesi de Dourados, Guilherme Duarte Jafar, apresentou as consultorias personalizadas e sistemas informatizados que a instituição oferece para o empresário se adequar às novas regras do e-Social, que começam a valer a partir de janeiro de 2018 para grandes empresas e em julho de 2018 para as de pequeno porte.

“O e-Social representa um novo desafio em termos de gestão da saúde e segurança do trabalho dentro das empresas e o Sesi tem serviços bastante aderentes nesse sentido. As empresas precisam estar preparadas para atender essa nova realidade, sob pena de multa, e o Sesi conta com uma gama de consultorias personalizadas e sistemas personalizados”, afirmou aos presentes o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla.

Já o gerente do Senai de Dourados, Yashi Sakimoto de Miranda, falou sobre os serviços na área de tecnologia e inovação, além da possibilidade de elaboração de cursos na área de educação profissional sob demanda, conforme a necessidade de cada indústria, enquanto o gerente do Senai Empresa, Rodolpho Mangialardo, apresentou as consultorias em diversas áreas de atuação para aumentar a competitividade das empresas.

Transparência

A gerente da Unidade de Controladoria Interna da Fiems, Silvia Gonda, demonstrou como Sesi e Senai do Estado atendem à recomendação do TCU (Tribunal de Contas da União) quanto a divulgação de informações relacionadas a orçamentos, demonstrações contábeis, processos licitatórios, contratos, gratuidade dos cursos, transferência de recursos, receitas e despesas, além de plano de cargos e salários, e que conferem transparência a atuação dessas instituições, pautadas em práticas transparentes.

“Nosso cronograma de implantação começou em abril deste ano e segue até julho de 2018, que é o prazo final, e todas as informações já compiladas estão disponíveis nos respectivos sites do Sesi e Senai, na aba Transparência”, explicou Silvia Gonda, ressaltando que as entidades são privadas, mas recebem contribuições parafiscais, ou seja, tributos incluídos na espécie tributária chamada contribuição especial no interesse de categorias econômicas ou profissionais. “Essa arrecadação é destinada ao custeio de atividade paraestatal, isto é, atividade exercida por entidades privadas, mas com conotação social ou de interesse público, como Sesi e Senai”, detalhou.