Simted: Prefeitura de Dourados trata professores com desprezo e irresponsabilidade

Desde o início da pandemia do Coronavírus, a administração municipal tomou várias medidas descabidas que geram insegurança para docentes contratados

O SIMTED Dourados vem a público repudiar a condução da Prefeitura Municipal de Dourados no tratamento aos professores contratados da Rede Municipal de Ensino durante essa grave crise da pandemia do Novo Coronavírus.

Com o término das férias antecipadas, na última segunda-feira (18), a Secretaria Municipal de Educação anunciou, por meio de uma comunicação interna, que estava suspenso o retorno das aulas presenciais e também o envio de atividades não presenciais, a partir do dia 19 de maio, até segunda ordem.

No entanto, o calendário escolar será retomado a partir de segunda-feira (25), com a formatação da metodologia de trabalho a ser utilizada com atividades remotas junto aos alunos. Mas os docentes contratados foram excluídos da organização para retomada dos trabalhos educacionais na REME nessa data, podendo ficar sem rendimentos entre os dias 19 e 31 de maio.

A Prefeitura de Dourados vem desdenhando da necessidade de garantia de renda para esses trabalhadores. No mês de abril, o governo municipal comunicou a suspensão do pagamento do salário de professores contratados, gratificações e adicionais com a suspensão das aulas presenciais. Após muita pressão da categoria e da sociedade douradense, a administração voltou atrás na sua decisão e suspendeu o corte de salários.

Dias depois, como uma espécie de punição, uma comunicação interna da SEMED convocou para retorno ao trabalho, todos os profissionais da educação da Rede Municipal de Ensino (efetivos, contratados, estagiários, professores apoio e coordenadores).

Tratou-se de uma medida irresponsável do Governo Municipal, gerando pânico e com a possibilidade de aglomerações nas unidades de ensino do município. A Prefeitura não está oferecendo sequer as mínimas condições de proteção aos trabalhadores, diante da grave crise da Covid-19, como máscaras, luvas, aventais, álcool em gel, garantia de distanciamento social entre outras medidas de segurança e prevenção à saúde para os educadores que ainda mantém atividades na REME.

O entendimento do SIMTED Dourados é de que a administração municipal vem aterrorizando os educadores contratados. Ao invés de proteger os trabalhadores e garantir a segurança alimentar e econômica desses servidores, a prefeitura quer retirar a renda de milhares de famílias douradenses numa clara tentativa de “jogá-los aos leões”.

Além de vários fatores que a crise da saúde pública e econômica da pandemia do Coronavírus gera, os educadores têm que conviver com incertezas em relação ao futuro de suas rendas que garantem a subsistência de suas famílias, as quais são provocadas pelos impactos do tratamento desumano com que a Prefeitura de Dourados trata esses trabalhadores.

O SIMTED Dourados exige que sejam assegurados os salários de todos os profissionais da educação da Rede Municipal de Ensino durante a crise da pandemia mundial, para que os trabalhadores possam atravessar essa turbulência com dignidade e segurança do ponto de vista da saúde e da vida econômica.