Por meio da imprensa, educadores de Dourados foram surpreendidos nesta terça-feira (2) pela divulgação de um possível atraso no pagamento de salários dos servidores municipais.

De acordo com a mídia local, o secretário municipal de Fazenda anunciou para o funcionalismo que o salário de junho não será pago até o 5° dia útil deste mês, sendo que o prazo se encerra na próxima sexta-feira (5). No entanto, o SIMTED Dourados não foi notificado e/ou convidado para nenhuma reunião com a administração municipal para tratar desse assunto.

De acordo com o secretário, há uma previsão de que o pagamento seja efetuado no próximo dia 10 de julho e que, também nos próximos meses, podem ocorrer atrasos do pagamento de salários.

FUNDEB

De acordo com demonstrativo do sistema do Banco do Brasil, no mês de junho a prefeitura de Dourados já recebeu R$ 8.549.627,11 referentes ao FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), recurso utilizado para os salários da educação.

O atraso do pagamento de salário é mais um desrespeito da atual administração com o funcionalismo, o que prejudica a vida dos trabalhadores. Ao longo da atual gestão, educadores já tiveram perdas salariais significativas, inclusive com escalonamento de salários em anos anteriores, além da falta de reajuste salarial no ano de 2017.

A educação está em constante luta pela valorização profissional da categoria, solicitando continuidade na negociação salarial pelos índices retroativos, ainda não pagos pela prefeitura, do Piso Municipal da Educação e do administrativo educacional.

Situação preocupante

O SIMTED vê com preocupação a situação fiscal do município. Em entrevista à imprensa, o secretário de Fazenda declarou que a prefeitura tem atualmente R$ 8 milhões em caixa, mas a folha de pagamento com encargos seria de R$ 34 milhões.

O sindicato espera que o pagamento do salário da educação seja efetuado até o 5° dia útil deste mês de julho. Em caso de atraso, solicitará à Câmara Municipal de Dourados que sejam apuradas e investigadas as informações sobre a falta de subsídios da prefeitura para pagamento dos salários dos servidores, assim como de que foram os recursos da administração estão sendo geridos.