Os setores da construção civil e construção pesada (obras de infraestrutura) tiveram uma reunião com o Sinduscon (Sindicato das Empresas da Construção) para traçar estratégias de colaboração no combate ao Coronavírus. Tudo caminha para que a partir de segunda-feira, (23), os trabalhadores sejam dispensados e fiquem por no mínimo 15 dias em casa.

“Estamos elaborando um aditivo à Convenção Coletiva para que as empresas possam dar férias coletivas”, explica José Abelha, presidente do Sintracom (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil de Campo Grande), e também presidente da Fetricom-MS (Federação dos Trabalhadores na Construção Civil de Mato Grosso do Sul).

O Sinticop-MS (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada) já enviou um comunicado para as empresas que contém recomendação do Ministério Público do Trabalho. “Na recomendação consta inclusive liberar os trabalhadores para evitar ao máximo o contágio pelo Coronavírus”, afirma o presidente do Sinticop, Walter Vieira dos Santos.

Nesta sexta-feira, (20), o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, usou as redes sociais para falar que os setores da construção civil e pesada devem parar a partir da próxima semana. O Sintracom e o Sinticop representam cerca de 40 mil trabalhadores da categoria em Mato Grosso do Sul.

Governo de MS - CORONAVÍRUS