Protesto foi decidido em assembleia geral da categoria na semana passada em Campo Grande – Foto: Assessoria

Servidores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul param amanhã (23) em Campo Grande e nos campus do interior de Mato Grosso do Sul em protesto salarial. Eles querem 28% de reposição salarial sobre seus vencimentos que não recebem a recuperação das perdas para a inflação há anos.

O movimento será liderado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – SISTA-MS.

A expectativa é de que os trabalhadores dos campus da capital e interior (Três Lagoas, Corumbá, Aquidauana, Chapadão do Sul, Paranaíba, Naviraí, Ponta Porã e Coxim) paralisem suas atividades nesse protesto decidido em assembleia geral da categoria na semana passada em Campo Grande, informa Waldevino Mateus Basílio, coordenador geral do SISTA-MS.

A direção do sindicato pede o comparecimento de todos os servidores dos campus de Campo Grande e interior, como forma de pressionar as autoridades e mostrar também para a opinião pública a indignação da categoria por não receber sequer reposição salarial há anos, quanto mais aumento salarial.

“Esperamos que todos se esforcem nessa paralisação e que venham também para os locais onde faremos concentração, entregando panfletos explicativos para a comunidade”, apela Cléo Gomes, também coordenadora geral do SISTA-MS. Ela informou que os manifestantes se concentrarão nas principais entradas da UFMS em Campo Grande e no interior do Estado, nas frentes das unidades de ensino. “Se não agirmos, se não protestarmos, a situação dos servidores ficará cada vez pior em nosso Estado”, afirmou a coordenadora.