Sergio Nogueira durante a sessão desta segunda-feira, 24 - Divulgação
Sergio Nogueira durante a sessão desta segunda-feira, 24 – Divulgação

A questão da saúde em Dourados tem tomado espaço na agenda da Câmara Municipal. Na sessão desta semana, o Conselho Municipal de Saúde utilizou a tribuna livre para falar sobre a situação precária da oncologia e o vereador Sergio Nogueira (PSDB) fez um chamamento para os parlamentares se unirem, junto ao Poder Executivo, para trazer solução efetiva aos problemas.

“Durante o meu primeiro mandato (2013-2016) fiz diversas solicitações ao Poder Executivo e, neste ano, não tem sido diferente. A saúde chega em um estágio que não dá mais, a população não aguenta mais”, menciona o vereador.

Só no primeiro semestre deste ano, o parlamentar encaminhou à prefeita Délia Razuk (PR), requerimento solicitando informações sobre o Convênio existente entre o governo municipal e o estadual acerca do funcionamento do Hospital Regional e o cronograma de funcionamento, bem como a relação dos serviços médicos a serem executados e as vagas a serem preenchidas para o funcionamento do mesmo. Outro documento, solicitando informações sobre a relação de todos os serviços oferecidos e realizados pelo Centro de Atendimento a Mulher – CAM, para as mulheres de Dourados e região.

Outra preocupação de Sergio Nogueira é a questão de médicos nos postos de saúde. O vereador fez requerimento solicitando informações sobre a previsão de retorno do médico do Posto de Saúde do bairro Campo Dourado, além de informação com relação a possível diminuição dos médicos nos postos de saúde e do psiquiatra do CAPS AD, e as providências a serem adotadas.

“Estamos atentos às demandas. Temos recebido inúmeras reclamações dos moradores de diferentes bairros no tocante a falta de médico e da possibilidade de diminuição do quadro de médicos, uma vez que foi retirado o valor da produtividade”, ressalta.

Quanto à oncologia, Nogueira citou, durante discurso na tribuna, que recebeu pessoas com câncer em seu gabinete que estão sem atendimento médico. “Nós precisamos nos unir, a população sofre, ela espera algo de nós. É o momento de nos unirmos junto com a administração municipal e buscarmos uma saída efetiva”, conclui Sergio Nogueira.