Consultor do Senai Empresa, Sebastião Dussel explicou as vantagens de energias renováveis – Assessoria

Com o objetivo de difundir o uso de novas fontes de geração de energia, o Senai Empresa apresentou, nesta terça-feira (18/06), durante o Seminário “Desafios e Oportunidades das Engenharias no Desenvolvimento de Mato Grosso do Sul”, as vantagens de se investir em fontes renováveis de energia, como energia fotovoltaica, eólica e de biomassa e biogás. O evento, realizado no auditório do Crea-MS (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande (MS), foi promovido pela Abemec-MS (Associação Brasileira de Engenheiros Mecânicos de Mato Grosso do Sul).

O consultor do Senai Empresa, Sebastião Dussel, explicou cada uma das fontes de energia renovável, custos, tempo de instalação. “A principal vantagem da energia fotovoltaica hoje é com relação ao custo de implantação por quilowatt instalado e também a manutenção simples. A eólica gera bem mais energia, mas exige uma complexidade muito grande, com custos elevados de implantação e manutenção, sendo viável apenas para grandes plantas, como uma cidade, por exemplo”, pontuou.

Com relação ao biogás, Sebastião Dussel destacou o crescimento do uso do biogás, principalmente na região de São Gabriel do Oeste por causa da suinocultura. “Como existe uma legislação que obriga os produtores a dar uma destinação correta para os dejetos dos porcos, a gente pode aproveitar para investir num sistema de geração de energia a partir de biogás, já que esses dejetos precisam ficar em um tanque, chamado de biodigestor, onde é gerado, por meio da fermentação, o biogás”, explicou.

Ele ainda reforçou que para aqueles que têm dúvidas sobre a melhor alternativa na hora de investir em novas fontes de energia, o Senai Empresa oferece um serviço de consultoria para fazer toda uma análise e definir qual a opção mais viável. “Por isso acho importante divulgarmos as ações do Senai para uma plateia de engenheiros, que podem disseminar essas informações para seus clientes, colaborando na redução dos custos com energia elétrica”, finalizou.