Senai Empresa dá suporte sobre logística reversa às indústrias do Estado

Desde sua criação, o Programa já atendeu 116 empresas – Divulgação

Com o tema “Acabe com a Poluição Plástica”, a Semana do Meio Ambiente este ano chama a atenção da sociedade para reduzir a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis. Atento a esse problema, o Senai Empresa já disponibiliza aos empresários industriais consultorias sobre logística reversa, em atendimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos e a legislação estadual, oferecendo apoio técnico e jurídico.

Segundo a coordenadora do Programa Senai de Gestão Ambiental, Liliane Candida Corrêa, a logística reversa foi instituída pela Lei Federal nº 12.305/2010, Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), trazendo a obrigatoriedade compartilhada para fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de diversos materiais, como resíduos e embalagens, conforme o grau e a extensão do impacto à saúde pública e ao meio ambiente.

“Mas o Programa Senai de Logística Reversa começou em 2016, junto com a resolução estadual. A Política Nacional existe desde 2010, mas em Mato Grosso do Sul só foi regulamentada em 2016, quando começamos com o Programa para apoiar as indústrias, criando uma proposta de como a logística reversa poderia atuar aqui no Estado”, explicou Liliane Corrêa.

Desde sua criação, o Programa já atendeu 116 empresas e a ideia é propor uma ação conjunta entre indústria e outros elos da cadeia produtiva, visando a adequação as regulamentações federal e estadual, com responsabilidade socioambiental. “A logística reversa traz vantagens para a indústria que, além da conformidade legal ambiental, tem o proveito de diluição dos custos e ampliação das ações”, acrescentou a coordenadora do Programa Senai de Logística Reversa.

Ela ainda reforçou que a Política Nacional de Resíduos Sólidos tem um caráter inovador, já que até então não havia ações relacionadas ao assunto. “Não existe gestão de resíduos sólidos. A grande maioria vai para aterros sanitários, os chamados lixões, ou direto para rios e mares, poluindo o meio ambiente, trazendo problemas para as pessoas de modo geral, mas para as empresas, que também dependem de água e de matéria prima”, finalizou.

Serviço – Mais informações pelo telefone (67) 3311-8533 ou pelo e-mail[email protected]