Semsur esclarece interdição de ecopontos

Reunião na Semsur esclareceu sobre a interdição de Ecopontos e novos locais para o descarte de podas e roçadas – Foto: Assessoria
Reunião na Semsur esclareceu sobre a interdição de Ecopontos e novos locais para o descarte de podas e roçadas – Foto: Assessoria

O secretário municipal de Serviços Urbanos Joaquim Soares se reuniu na manhã desta quarta-feira com profissionais que atuam nos serviços de jardinagem do Município para esclarecer sobre a interdição temporária de dois dos três Ecopontos da cidade, em função do prolongado período de estiagem e a ocorrência de incêndios nesses locais.

Ao representante dos trabalhadores, José Roberto da Rocha, e 11 jardineiros que atuam no serviço de poda e roçada de particulares, Joaquim explicou que a suspensão dos trabalhos e interdição dos Ecopontos “é nesse momento uma medida extremamente necessária, em função de que a recente ocorrência de incêndios, provocados pela seca, vinha comprometendo o funcionamento”.

Justificou que por conta desse contratempo fez-se necessário a destinação dos materiais provenientes de poda e roçada para outros locais. Joaquim prevê que a normalização da situação em pelo menos 30 dias. Os três ecopontos estão no Parque das Nações 1, próximo ao túnel novo, um na Cohab II – Via Parque e outo no Parque do Lago. A interdição atingiu os dois últimos.

Durante a reunião com os jardineiros, da qual também participou o vereador Jânio Miguel, ficou estabelecido que todos os profissionais que atuam na área de poda e roçada deverão procurar a Semsur a partir de segunda-feira, 7 de agosto, para realizar cadastro, cujo objetivo é a identificação e autorização junto aos pontos de descarte dos materiais provenientes da poda e roçada. Somente os profissionais cadastrados terão autorização para fazer a entrega nos pontos estabelecidos.

Enquanto prevalecer a interdição, os galhos secos deverão ser levados ao aterro sanitário, olaria ou para a aldeia indígena. Já os galhos verdes deverão ser levados ao picador municipal, na Rua Honduras, no Parque das Nações I. Contudo deverá ser observado que não pode haver qualquer outro tipo de material junto com os galhos verdes, que deverão ter espessura inferior a três centímetros. Já o material originado com a roçada de grama deverá ser levado ao ecoponto do Parque das Nações I, o único que continua funcionando.

A fiscalização será realizada pelo Imam (Instituto do Meio Ambiente) e a Guarda Municipal, com apoio de outros órgãos fiscalizadores.