Semaf promove minicurso para cultura de maracujá

Entre outros objetivos, a Semaf quer fomentar a cultura agroecológica do maracujá com a ministração de conhecimentos - Foto: Famasul/Divulgação
Entre outros objetivos, a Semaf quer fomentar a cultura agroecológica do maracujá com a ministração de conhecimentos – Foto: Famasul/Divulgação

O evento acontece nesta quarta-feira, a partir de 7h30 na sede da Semaf com palestrantes da Secretaria, Embrapa e Agraer

Uma parceria entre a Semaf (Secretaria Municipal de Agricultura Familiar), Embrapa e Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) proporciona a agricultores familiares da região de Dourados um minicurso com o tema “Cultura do maracujazeiro em sistema agroecológico”.

O evento acontece nesta quarta-feira (30), a partir de 7h30 na sede da Semaf, e terá como palestrantes o engenheiro agrônomo da Secretaria, José Joaquim, da Embrapa, Ivo Mota e da Agraer, André Luiz. A secretaria fica na Rua José Luiz da Silva, Terra Roxa II, ao lado da UPA.

A duração é de quatro horas e toda a temática será voltada ao pequeno produtor douradense que se interessa pelo cultivo de frutas, com especial atenção ao maracujá. “Temos muitos pontos favoráveis ao cultivo do maracujá e de outras frutas, com clima e solo potenciais. No entanto, falta o conhecimento e a aplicação dele, que vamos tratar neste minicurso”, disse o agrônomo José Joaquim.

Entre outros objetivos, a Semaf quer fomentar a cultura agroecológica com a ministração de conhecimentos e tecnologias para que Dourados caminhe para a independência na produção, não dependendo mais de trazer estes produtos de outras localidades.

Segundo o secretário Landmark Ferreira Rios, o entendimento de que o município e a região são potenciais produtores de plantas frutíferas se soma a necessidade de geração de emprego e renda e de aplicação de conhecimento que possuem os técnicos das entidades que tratam o assunto. “Temos Embrapa, Agraer e Semaf trabalhando juntas para que a nossa cidade evolua na produção agroecológica e venha ser autossuficiente em muitos aspectos. Potencial nós temos”, analisou Landmark.

O secretário pontuou ainda que um dos grandes entraves para alavancar este tipo de produção sempre foi a falta de técnicas, e muitas vezes, de incentivo, o que muda com a ministração de cursos em parcerias produtivas. “Temos visto que há caminhos sólidos e objetivos e estamos trilhando”, disse.

Nesta edição do minicurso serão priorizados os produtores cadastrados junto à Semaf e alguns convidados.