Sem proposta da Prefeitura de Dourados, educadores aprovam paralisação para o dia 27 de junho

Educadores realizaram assembleia na manhã desta quarta-feira no Centro Administrativo Municipal – Foto: Simted
Educadores realizaram assembleia na manhã desta quarta-feira no Centro Administrativo Municipal – Foto: Simted

Professores/as e administrativos da Rede Municipal de Ensino de Dourados realizaram uma assembleia no Centro Administrativo Municipal na manhã desta quarta-feira (21), contra a desvalorização profissional.

Servidores/as do Ensino debateram várias pautas, dentre elas a expectativa pela chamada do Concurso Público da REME. Também cobram da administração reajustes do Piso Nacional do Magistério e a reposição do grupo administrativo.

Em votação, os/as educadores/as aprovaram uma paralisação para a próxima terça-feira, dia 27 de junho, como protesto contra a falta de proposta por parte da prefeitura e o descaso com a Educação no município.

Reunião

Durante a assembleia, a Comissão de Negociação do SIMTED repassou aos demais detalhes da reunião, realizada na manhã desta terça-feira (20), no CAM, com a prefeita Délia Razuk.

Na ocasião, ela afirmou que não tem proposta salarial para o Magistério e o Administrativo da REME. A Comissão foi recebida pela prefeita, secretária de Educação Denize Portolan, secretária de Governo Patrícia Bulcão e técnicos da prefeitura. O vereador Elias Ishy acompanhou a reunião.

Durante o diálogo, o governo apresentou dados sobre o orçamento do município. A administração argumentou que a folha de pagamento estaria no limite prudencial e a arrecadação estaria em queda.

A Comissão de educadores/as lembrou ao executivo que a Lei Nacional do Piso do Magistério e o reajuste dos servidores administrativos são direitos constitucionais e desrespeitá-los seriam atos de improbidade administrativa.

O SIMTED questionou a suposta falta de recursos, lembrando que outras categorias tiveram reajuste, cargos comissionados e de confiança. O salário pago aos profissionais da Educação é um dos mais baixos da administração.

Os/as trabalhadores/as ainda cobraram o repasse de informações e dados sobre a aplicação dos recursos públicos na REME, solicitado por diversas vezes via ofícios.

Outras pautas

De acordo com as informações repassadas aos educadores, todos os contratos vigentes de professores/as serão encerrados no próximo dia 07 de julho e, somente após estas demissões, a administração terá condições de fazer o levantamento sobre as lotações de professores/as efetivos/as, uma vez que, mesmo sendo realizada chamada de concurso, não houve diminuição de contratação.

Seriam chamados em torno de 181 professores/as aprovados no Concurso Público para início das atividades no segundo semestre. O SIMTED questionou a existência de um número bem maior de vagas puras.

Os/as sindicalistas também relataram a necessidade de chamada para professor/a coordenador/a, o que prevê o edital do Concurso, inclusive para coordenação de Ceims.

Profissionais aprovados em concurso para coordenação procuraram o Ministério Público essa semana para exigir a posse. A prefeita disse na reunião que até o final do ano as coordenações de Ceims não mudam.

O SIMTED ainda questionou um Decreto recente que veta contratações de professores/as por diretores/as de escola, o que gerou impasse e apreensão por parte da categoria. O documento oficial saiu da Procuradoria Geral do Município e não da Secretaria de Educação. Tal situação deixou a categoria angustiada, ao perceber que decretos em torno do ensino estavam sendo realizados por pessoas que não tem qualquer conhecimento sobre a organização escolar.

A Comissão ainda realizou indagações sobre a desvalorização dos/as profissionais Difícil Acesso e a contratação no programa Mais Educação, que deveria ter servidores efetivos.

Greve Geral
No próximo dia 30 de junho, sexta-feira, os/as educadores/as também se juntam a outras categorias, de todo o país, em uma Greve Geral contra as Reformas do Governo ilegítimo de Michel Temer e seus aliados.

Assessoria SIMTED