Sem direito de defesa e com mandato roubado. Assim, o ex-senador Delcídio do Amaral avaliou a cassação no Senado Federal, em maio de 2016. Em entrevista ao programa “Boca do Povo”, da rádio Difusora Pantanal, o político avaliou a perda do mandato. “Minha cassação foi um fuzilamento, não tive nem o direito de me defender”. As informações são do portal Correio do Estado.

Delcídio relembrou como foi a cassação no Senado Federal, que era presidido na época por Renan Calheiros. “A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania aprovou toda a minha estratégia de defesa e, três horas depois, o Renan Calheiros cancelou em plenário a decisão da CCJ, mandou fazer uma outra reunião e nunca vi isso. Passei 13 anos no plenário. Ele disse aos outros que ou me cassavam ou não colocava o impeachment da Dilma para votar”, relembrou.

O político declarou que vai resgatar seus direitos, até mesmo em respeito aos eleitores. “O povo sabe que eu fui injustiçado, o povo sabe que me roubaram um mandato e o povo se identifica com quem é injustiçado”, afirmou.