Governador durante o lançamento da segunda edição da Rota de Integração Latino-Americana, na noite desta quinta-feira – Foto: Edemir Rodrigues
Governador durante o lançamento da segunda edição da Rota de Integração Latino-Americana, na noite desta quinta-feira – Foto: Edemir Rodrigues

Lançada na noite desta quinta-feira (24.8) a segunda edição da Rota de Integração Latino-Americana (Rila), organizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Mato Grosso do Sul (Setlog/MS), com apoio do Governo do Estado. O evento tem como objetivo possibilitar que empresários e autoridades públicas possam percorrer o trecho da chamada Rota Bioceânica, e assim constatar a viabilidade desse caminho para o escoamento da produção principalmente para o mercado asiático, passando pelo Oceano Pacífico.

O percurso entre Mato Grosso do Sul até a região portuária do Chile será feito em 30 caminhonetes dotadas de moderno sistema de navegação e comunicação, e que deixaram Campo Grande na manhã desta sexta-feira em direção a Porto Murtinho, na fronteira com o Paraguai. Durante o lançamento da Rila, o governador Reinaldo Azambuja destacou a importância desse projeto não só para o Centro-Oeste, mas para todo o Brasil.

“Abrir esse corredor é tornar os nossos produtos mais competitivos. Nos últimos anos sofremos um apagão de logística por um equívoco dos governos anteriores, e com essa rota vamos abrir as portas para melhorarmos a nossa competitividade”, afirmou Reinaldo Azambuja. O governador lembrou que a abertura desse caminho vai representar a criação de melhores condições não só para a exportação dos produtos primários, mas também os produtos industrializados.

O presidente da Setlog/MS, Cláudio Cavol, que organiza pela segunda vez a expedição, é um dos maiores defensores da Rota Bioceânica. “A viabilidade dessa rota abrirá nova possibilidade para as exportações de Mato Grosso do Sul e do Centro-Oeste rumo ao mercado asiático, possibilitando uma redução de 11 mil quilômetros de rota marítima com essa saída pelos portos do Chile”, afirmou.

Presente na solenidade de lançamento do Rila, o embaixador do Chile no Brasil, Jaime Mujica, disse que o governo do seu país há muito espera pela consolidação dessa rota. E ele garante que as empresas públicas e privadas que operam no setor portuário estão preparados para fazerem investimentos para atender o aumento da demanda prevista com a concretização da Rota Bioceânica.

O representante do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, João Carlos Parkinson de Castro, também presente no lançamento da Rota de Integração Latino-Americana, enfatizou a importância da integração entre o setor privado e os órgãos públicos, e principalmente do envolvimento dos políticos para que o sonho da Rota Bioceânica seja concretizado. “Vou ser sincero, nada disso seria possível sem o apoio do governador Reinaldo Azambuja e da parceria do governo com o setor privado. Sem o setor privado não se faz nada”, destacou Parkinson.

Ele lembrou que há pouco mais de dois anos e meio, esteve junto com o secretário estadual de Infraestrutura de Mato Grosso do Sul, Marcelo Miglioli, participando de uma audiência em Santiago, no Chile, em que o assunto em discussão era a criação da Rota Bioceânica. “Naquela época me pediram para encontrar uma alternativa de rota para exportar nossos produtos para o mercado asiático, e percebi que essa rota era viável”, disse ele.

As 30 caminhonetes que iniciam nesta sexta-feira a caravana, retornam no dia 3 de setembro. Nesse período, passarão por cidades do Paraguai, Argentina e Chile. Na solenidade de lançamento, participaram empresários, os senadores Waldemir Moka e Pedro Chaves, o deputado federal Carlos Marum, os secretários Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica), Marcelo Miglioli (Infraestrutura), Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), além de autoridades federais e municipais.