Rede Ebserh abre concurso público com vagas para 36 hospitais

Para o HU-UFGD, são 72 vagas além da formação de Cadastro Reserva em 13 especialidades ou profissões

Foram publicados nesta segunda-feira (4) os editais para o concurso da Rede Ebserh, que oferece 1.660 vagas para 36 unidades hospitalares da rede distribuídas nas cinco regiões do país, além da administração central da instituição.

Para o HU-UFGD, há um total de 72 vagas mais formação de Cadastro Reserva para 13 especialidades ou profissões, abrangendo as áreas Médica, Assistencial e Administrativa.

São 24 vagas para médicos em oito especialidades e Cadastro Reserva para quatro especialidades. Para a Área Assistencial são 45 vagas, distribuídas entre enfermeiros, fisioterapeuta, nutricionista, técnico em Análises Clínicas e técnico em Enfermagem, além de Cadastro Reserva para oito profissões. A Área Administrativa oferece três vagas e Cadastro Reserva para uma profissão.

As inscrições podem ser realizadas de 6 de novembro, próxima quarta-feira, até 10 de dezembro, exclusivamente pelo site do IBFC, banca organizadora do concurso. Os editais estão disponíveis no portal da Rede Ebserh e no site do IBFC.

As remunerações variam de R$ 2.451,00 a R$ 10.350,00, dependendo do cargo. Para se inscrever, o candidato deve, após o preenchimento da ficha de inscrição, imprimir o boleto bancário e pagá-lo. A inscrição só se efetiva com o pagamento.

As provas estão previstas para o dia 02 de fevereiro de 2020 e poderão ser realizadas na cidade de escolha do candidato, dentre os locais previstos no edital.

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais. Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. A Rede de Hospitais Universitários Federais atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.