Senadoras Simone Tebet e Soraya Tronickie, junto ao senador Nelsinho Trad, reunidos com Elisa Bastos, diretora da ANEEL – Foto: Luís Carlos Campos Sales

Agência Nacional de Energia Elétrica explica sobre indicadores que definiram o percentual e podem ser revistos

O reajuste abusivo da energia elétrica de 12,39% poderá sofrer alterações em Mato Grosso do Sul. Após questionamento sobre o valor em sessão do plenário, o senador Nelsinho Trad (PSD/MS) foi convidado pela diretora da Agência Nacional de Energia Elétrica, Elisa Bastos, para uma reunião nesta quinta-feira à tarde. Acompanhado das parlamentares sul-mato-grossenses, senadoras Simone Tebet (MDB) e Soraya Tronickie (PSL), o senador pediu explicações sobre o aumento e obteve expectativa de futuras mudanças. “Existe a possibilidade de reverter este reajuste, nos prometeram revisar com lupa todos os indicadores”, afirmou o senador.

A diretora da Aneel, Elisa Bastos, e técnicos explicaram a forma da aplicação de reajuste, que se leva em conta parâmetros fixos. Para possíveis alterações, é necessária a revisão dos indicadores passados pela empresa concessionária no Estado. “Agora vamos solicitar encaminhamento aos deputados estaduais para que questionem a Energisa. Esse reajuste precisa ser revisto para que as próximas negociações tarifárias sejam feitas com mais diálogo e em conjunto com toda a sociedade”, destacou o senador Nelsinho Trad.

O aumento de 12,39% para mais de 1 milhão de consumidores atendidos pela Energisa MS em Mato Grosso do Sul foi homologado pela Aneel e deverá entrar em vigor a partir de segunda-feira (08/04). O reajuste, segundo o senador Nelsinho Trad, traz impactos econômicos ao Estado. Os moradores, consumidores residenciais, terão o percentual acrescentado de 12,48%, já as indústrias pagarão 12,16% a mais. No ano passado, o índice de reajuste foi de 10,35%. “Nós precisamos ir a fundo para entender o motivo desse aumento abusivo para Mato Grosso do Sul”, disse o senador.