Autoridades visitaram as instalações da Base Aérea de Campo Grande – Foto: Chico Ribeiro

Parceria entre Ministério da Segurança Pública e Força Aérea Brasileira (FAB) vai garantir mais segurança para as fronteiras de Mato Grosso do Sul com Paraguai e Bolívia. O acordo de cooperação permite que o Ministério da Segurança Pública repasse R$ 140 milhões à Força Aérea Brasileira para adquirir três radares móveis, que vão detectar aviões do narcotráfico.

Os equipamentos, que serão instalados nos municípios de Corumbá, Ponta Porã e Porto Murtinho, vão acabar com os últimos “pontos cegos” no espaço aéreo brasileiro. O governador Reinaldo Azambuja acompanhou a apresentação feita nesta sexta-feira (30.11) pela FAB, na Base Aérea de Campo Grande.

As aeronaves voam baixo para fugir da fiscalização. “Esses dois pontos cegos despertam preocupação e os dois radares vão permitir acompanhamento mais eficaz das fronteiras no combate ao tráfico de drogas e armas que irriga o crime organizado nos grandes centros. Esses três radares são mais um passo para blindar a fronteira e melhorar o desempenho da segurança pública”, afirmou o governador.

Acordo para instalação de radares na Fronteira Leste, nesta sexta-feira, 30 – Foto: Chico Ribeiro

De acordo com secretário Nacional de Segurança Pública, Brigadeiro João Tadeu Fiorentini, os radares vão garantir a fiscalização aérea de até 5.000 pés (1.500 metros de altura). Em altitudes superiores o espaço brasileiro já é 100% protegido, segundo ele. “O recurso está garantido e os novos radares devem ser instalados em 2019. Também está prevista a compra de novos radares móveis”, disse.

Os equipamentos vão funcionar 24 horas por dia. Em 2018, duas aeronaves usadas por narcotraficantes foram alvejadas e outras duas obrigadas a pousar em Mato Grosso do Sul e a FAB apreendeu 1.715 quilos de pasta-base de cocaína.

Também participaram do evento o senador, Pedro Chaves; deputado federal, Dagoberto Nogueira; secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira; comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Joilson; e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Valdir Acosta.