Fundador do WikiLeaks está detido em Londres, no Reino Unido – Foto: EPA

A Promotoria da Suécia apresentou nesta segunda-feira (20) um pedido formal de prisão contra o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela acusação de estupro.

O pedido tem como objetivo que algum tribunal emita a ordem de prisão contra o australiano, que já está detido em Londres.

No último dia 13 de maio, a Justiça sueca reabriu o processo no qual Assange é acusado por crimes sexuais, os quais teriam ocorrido em agosto de 2010, em Estocolmo.

“Solicito ao tribunal a detenção de Assange em sua ausência por suspeitas de estupro”, disse, em um comunicado, a vice-promotora sueca, Eva Marie Persson. Em 11 de abril, Assange foi expulso da embaixada do Equador em Londres, onde estava refugiado desde 2012 para evitar sua prisão e extradição à Suécia. Ele, porém, perdeu o apoio do governo equatoriano, o qual alegou que Assange violou as normas do asilo.

Expulso da embaixada, as autoridades britânicas prenderam o australiano e o condenaram a 50 semanas de detenção por ter violado seu acordo de fiança, fechado em 2011 com a Justiça da Inglaterra, para evitar a extradição à Suécia. Assange ainda corre o risco de ser extraditado aos Estados Unidos, onde é acusado de conspiração por tentar acessar computadores do governo.

Da AnsaFlash