Projetos do Consórcio Brasil Central avançam em sete áreas

Em novembro de 2019, 21ª reunião do BrC realizada no Maranhão teve eleição para o novo presidente do bloco – Foto: BrC

Criado em 2015 para fomentar o progresso individual e regional dos estados participantes, o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (Brc) avançou com sete projetos em áreas prioritárias no último ano. São membros consorciados do BrC os estados de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins, além do Distrito Federal.

O mais avançado é o processo de compra compartilhada de medicamentos, que tem previsão de ser finalizado no 1° trimestre de 2020. Ao todo, 103 fármacos serão adquiridos pelos sete estados por R$ 169 milhões – economia estimada de 30%. Os remédios são para o tratamento de endometriose, hipertensão pulmonar, osteoporose, Parkinson, Alzheimer e esquizofrenia, entre outras doenças.

Também estão em andamento no Consórcio planos relacionados ao turismo integrado; logística/infraestrutura; mercado comum; fomento ao desenvolvimento rural e agronegócio; diversificação da pauta exportadora; e aliança municipal pela promoção.

Na área do turismo, o BrC representou os sete estados do Brasil na World Travel Market London (WTM) – a maior feira de operadores do turismo do mundo, realizada em Londres, na Inglaterra, em novembro passado. Lá, o bloco trabalhou a difusão do conceito “Conheça um novo Brasil” e dos principais atrativos de cada unidade da federação.

Na área do mercado comum, o Brasil Central tem trabalhado a harmonização de alíquotas para 20 produtos para incrementar o comércio entre os estados membros, impulsionando a competitividade da região com base em suas cadeias produtivas, proporcionando um ambiente de negócio seguro aos investidores e fomentando o comércio intrabloco. O projeto está na fase de levantamento de dados junto às unidades da federação consorciadas.

No segmento do desenvolvimento rural, o BrC firmou parceria com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), instituição federal detentora de conhecimento, tecnologia e know-how. Em negociação, o termo de implantação de um projeto de piscicultura, respaldando o envolvimento dos estados e da Embrapa. Ainda estão sendo prospectadas parcerias com Anater, Asbraer e Ministério da Agricultura;

Também houve em 2019 o lançamento do Programa Brasil Central Global, com parcerias em andamento com Portugal, Espanha e China. Haverá realização de workshops nos dois primeiros países em 2020 e do encontro empresarial na embaixada da china em Brasília previsto para abril deste ano. O objetivo é prospectar negócios entre os estados do BrC e os países do programa.

Esses e outros projetos progrediram ao longo de 2019, período do mandato do governador Reinaldo Azambuja como presidente do Brasil Central. O sul-mato-grossense será sucedido na presidência do bloco em 2020 pelo governador do Mato Grosso, Mauro Mendes – eleito pelos demais governantes do bloco em novembro passado, no Maranhão.