Programa “Lixo Zero Social 10” oferece quase quatro mil vagas em MS

Centro de triagem e transbordo – Ilustração

O evento de lançamento no Mato Grosso do Sul acontece na próxima terça feira (28), a partir das 8h, no auditório da UNIDERP

Solucionar a destinação correta de 100% do lixo, melhorar a educação e cidadania com ações sociais voltadas aos mais carentes, gerar emprego e renda e acabar com lixões em todo Mato Grosso do Sul. Estes são alguns dos benefícios que serão implantados com Sistema INER de Resíduos Sólidos, Programa: “Lixo Zero Social 10” – Gestão dos Resíduos Sólidos do Brasil, que será lançado na próxima terça feira (28), a partir das 8h, no auditório da UNIDERP – Bloco 5, na Vila Antônio Vendas, em Campo Grande (MS). Ocorrerá ainda na segunda-feira (27), capacitação e posse dos diretores sociais do Elo Social, das 8h às 16h, no mesmo local.

De acordo com o presidente da Confederação do Elo Social Brasil, Jomateleno dos Santos Teixeira, a instituição social é sem fins lucrativos com representação nacional e vem cumprir com os desafios da Lei nº 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

“Neste ato apresentaremos o programa ‘Lixo Zero Social 10’ juntamente com os prefeitos parceiros de Mato Grosso do Sul e os empresários convidados que atuam ou pretendem atuar no ramo de resíduos sólidos”, conta. O presidente ratifica ainda, que o programa pretende trazer a solução da eliminação de 100% dos resíduos sólidos – lixo – para o Estado.

Segundo Jomateleno dos Santos Teixeira a instituição implantará no em 21 municípios do Estado 21 prédios para atendimento a comunidade carente, onde cada espaço ira contemplar 200 famílias por dia com atendimentos jurídico, psicológico, de saúde, educacional e assistência social. Além disso, no local serão ministrados cursos para 720 pessoas por mês nas áreas de inclusão social, dentre outros temas. “Assim garantindo uma elevação na qualidade de vida dos cidadãos”, enfatiza.

Além disso, também será construído 21 Centro de Triagem e Transbordo (CTTs) e 21 cooperativas de trabalho. “O objetivo é acabar com o problema do lixo, dando dignidade aos ex-catadores, que terão a opção de se tornarem tapeceiros, restauradores de móveis ou decoradores ou ainda de trabalharem nas usinas na função de selecionador de riquezas”, relata o presidente.

Usinas

Além das implantações dos centros de atendimento, cooperativas e CTTs, serão implantados ainda usina de incineração de lixo hospitalar e químico, usina de cremação de animais e usina de compostagem, que deverão gerar quase quatro mil empregos em Mato Grosso do Sul a partir de 2019. Os salários variam de três (R$ 2811) a 20 salários mínimos (R$ 18.740,00), de acordo com a ONG.

De acordo com Teixeira a proposta do Programa “Lixo Zero Social 10” é simples e visa proporcionar às empresas interessadas em investir nos empreendimentos a tecnologia e suporte técnico nas implantações.

“É como se fosse uma franquia. Criamos e estruturamos todo o projeto com tecnologia moderna e economicamente eficaz, e as empresas entram como parceiros e fazem os investimentos necessários na construção das usinas. Oferecemos a tecnologia e o suporte técnico. Além de já possuirmos uma lista de terremos em condições de serem adquiridos pelos futuros investidores”, explica o presidente da Confederação do Elo Social Brasil.

As áreas previstas para a implantação do Programa “Lixo Zero Social 10” são capazes de absorver todo o complexo de recepção, tratamento e destinação final dos resíduos. Durante o evento, os interessados irão conhecer as plantas propostas para as usinas e mais detalhes do projeto. “Importante lembrar que as usinas INER tem como objetivo acabar com os famigerados lixões, reaproveitando as riquezas do lixo com inclusão social”, salienta Jomateleno.

Confira apresentação do programa: