Os educadores indígenas de Dourados acolheram um pedido de ajuda da comunidade e lideranças e começaram a desenvolver um programa de educação e prevenção antidrogas para as escolas indígenas.

O projeto Tekoha Marane’ỹ, Aldeia sem Males, nasceu desta solicitação e teve a anuência das lideranças e gestores das escolas nas aldeias Bororó, Jaguapiru e Panambizinho. O pedido foi formalizado durante a IV Mostra Cultural realizada em novembro de 2018 na EMI Tengatui Marangatu. A partir de então, a profa. Teodora de Souza Guarani, membro da coordenação executiva do FOREEIMS, o Fórum de Educação Escolar Indígena de Mato Grosso do Sul, e coordenadora do Núcleo de Educação Escolar Indígena da SEMED/Dourados, submeteu a proposta à discussão com os educadores e instituições parceiras como a Missão Evangélica Caiuá (M.E.C), a Universidade Federal da Grande Dourados (FAIND/UFGD), Associação Salvare e Escolas Indígenas.

As discussões e a demanda pela formação ampliaram-se a partir do FOREEIMS, ganhando o apoio e a adesão, após consulta, das lideranças indígenas, dos profissionais do CRAS, CAPS AD, da área de segurança pública, saúde, COMAD Dourados e da UFGD, mediante a Faculdade Intercultural Indígena (FAIND).

A coordenação do projeto está a cargo de quatro instituições: Universidade Federal da Grande Dourados (FAIND/UFGD), Associação Salvare, Missão Evangélica Caiuá (M.E.C) e Núcleo de Educação Escolar Indígena (NEEI/CEAID/SEMED).

A proposta da Ação levará orientação e formação sobre o tema durante dois anos para cerca de 200 professores indígenas e, consequentemente, serão beneficiados aproximadamente 3 mil estudantes indígenas da rede municipal e estadual de ensino em Dourados, destaca a Profa. Teodora de Souza.

A participação da Faculdade Intercultural Indígena (FAIND), onde atua um dos coordenadores da proposta, o prof. Neimar Machado de Sousa, consiste no apoio à formação da equipe que assessora os educadores indígenas quanto ao desenvolvimento do projeto e do currículo nas escolas, além da participação de profissionais e pesquisadores de diversas especialidades como, por exemplo, o prof. dr. Marcio Eduardo Barros (FAMED), Dr. Thiago Pauluzzi Justino, psiquiatra, FAMED/UFGD), a. Dra. Zefa Valdivina Pereira, FCA/UFGD, além de outros profissionais, lembrando que se trata de uma iniciativa desenvolvida por voluntários.

De acordo com outro dos coordenadores do projeto, o bombeiro militar (RR) e representante da Missão Evangélica Caiuá, Valdomiro Cardoso Filho, o projeto Tekoha Marane’ỹ é uma ação multidisciplinar e interinstitucional com o objetivo de desenvolver um programa educacional curricular específico em Educação Antidrogas junto às escolas indígenas da região de Dourados para a promoção do bem-estar físico, psicológico e social.

O lançamento da ação ocorrerá com a 1ª CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO ANTIDROGAS PARA PROFESSORES DAS ESCOLAS INDÍGENAS DE DOURADOS, nos dias 31 de maio e 01 de junho de 2019, no cine-auditório da UFGD, unidade 1.

Mais informações no site do projeto http://www.tekoha.org.br ou pelo e-mail (tekohamaraney@gmail.com)