Produção de maracujá orgânico já atinge metas da Semaf

Produção da agricultura familiar tem produtores com média de até 100 quilos colhidos por semana – Foto: A. Frota

A Prefeitura de Dourados, através da Secretaria Municipal de Agricultura Familiar, colhe, literalmente, os frutos do projeto de implantação da cultura do maracujá no contexto da produção familiar em áreas rurais do município. Com isso, é dado mais um passo para a autossuficiência na produção e para que o mercado douradense seja abastecido com produtos daqui.

Segundo informação da Semaf, a produção da agricultura familiar tem produtores com média de até 100 quilos colhidos por semana, claramente se tornando opção de fornecimento do produto para o consumo local, principal meta do projeto. “Temos clima e solo propícios, e demos a capacitação para o cultivo com vistas a suprir este mercado local, que importa a maior parte do que é comercializado na cidade”, disse o agrônomo José Joaquim de Souza Neto.

O responsável pelo projeto destaca que a meta é certificar a produção que é Agoecológica, como produto orgânico e, assim, dar cobertura para um nicho de mercado que merece atenção. “Estamos no caminho certo. Estamos com resultados que são positivos e que mostram que podemos implementar ações e suprir a demanda”, disse José Joaquim.

Com a entrega das mudas – disponibilizadas pela Embrapa – ocorrida em novembro do ano passado, mais de 20 produtores foram contemplados, 11 deles, sob a orientação da Semaf, que finalizam a primeira colheita. A produção de mudas foi feita pela Embrapa, que distribuiu 2,3 mil mudas, sendo mil para a Semaf. A secretaria fez a seleção dos produtores e deu o curso de preparação. Da meta de produção que é de 20 toneladas.

Segundo o agrônomo, a estimativa é de produção de 10 quilos por planta em cada safra, sendo que neste primeiro ciclo são duas colheitas, meta que tem sido alcançada. “Nesta primeira colheita que estamos finalizando temos alcançado a meta e os produtores estão otimistas para ampliar a produção”, disse.

O segundo período de floração para posterior colheita inicia já em setembro, relatou o agrônomo. As plantas são de maracujá do tipo Gigante Amarelo, Rubi do Cerrado e Sol do Cerrado. Com a dotação de conhecimento e aplicação de tecnologias aos produtores, a meta da Semaf é que Dourados também caminhe para a independência na produção, não dependendo mais de trazer estes produtos de outras localidades.

O entendimento de que o município e a região são potenciais produtores de plantas frutíferas se soma a necessidade de geração de emprego e renda e de aplicação de conhecimento que possuem os técnicos das entidades que tratam o assunto.