Milene Nantes, presidente do Silems, na abertura do 22º Encontro Técnico do Leite – Assessoria

Durante abertura do 22º Encontro Técnico do Leite, realizado nesta sexta-feira (07/06), no auditório do Sindicato Rural de Campo Grande (MS), a presidente do Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul), Milene Nantes, entregou as demandas para fortalecer a cadeia do leite do Estado ao superintendente de Produção e Agricultura da Semagro (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Rogério Beretta, e ao presidente da Comissão de Turismo, Indústria e Comércio da Assembleia Legislativa, deputado estadual Capitão Contar.

Segundo Milene Nantes, o documento foi formulado a partir de uma reunião entre as indústrias laticínias e os produtores rurais no início de maio e tem 1.066 assinaturas. “Nós precisamos estar em conjunto, tanto produtor como indústria, mas precisamos também de políticas que beneficiem os dois lados, porque sem o leite do produtor a indústria não consegue produzir e não se mantém, mas sem a indústria o produtor também não tem para quem vender a sua produção. Então queremos sensibilizar nossas autoridades sobre essa situação sensível que nós estamos vivendo”, afirmou.

Ela explicou que, ao todo, o documento conta com 16 propostas das entidades representativas da cadeia produtiva do leite, com destaque para uma mudança na política tributária. “Queremos reduzir a alíquota do ICMS interestadual dos derivados lácteos para 3%, sendo 1% para um fundo de desenvolvimento da bovinocultura de leite e equiparar a alíquota de ICMS do leite spot – comercializado entre empresas”, destacou.

O documento também pede a redução da alíquota do ICMS de 17% para 2% na aquisição de energia elétrica pelo produtor de leite e indústrias laticínias. “Além disso, queremos a intensificação da fiscalização referente à tributação do leite UHT nos Centros de Distribuição e das transferências de outros Estados para Mato Grosso do Sul. Acreditamos que essas medidas podem nos ajudar a melhorar a competitividade dos nossos produtos aqui dentro do Estado, porque a maioria do leite consumido aqui vem de fora”, completou.

O superintendente Rogério Beretta reforçou a importância do leite para a segurança alimentar. “Temos o leite como o principal alimento na infância e devemos estimular o seu consumo e trabalhar para que o Estado tenha condições de oferecer o produto em qualidade e quantidade para a nossa população. Esse documento que recebemos aqui será levado para a Câmara Setorial do Leite e os técnicos do Governo do Estado, juntamente com essa Câmara, vão fazer um estudo para ver quais as ações em que o governo pode localmente trabalhar”, explicou.

Já o deputado estadual Capitão Contar destacou o encontro com produtores e indústria uma oportunidade de entender mais sobre a cadeia do leite e se colocou à disposição para ajudar o segmento. “Quero que vocês me vejam como uma ferramenta dentro da Assembleia para apresentar as demandas necessárias para melhorar a competitividade dos nossos produtos”, finalizou.