Presidente da Fiems vistoria obras do Sesi SST e prédio da Escola da Construção do Senai

Sérgio Longen esteve vistoriando as obras nesta quinta-feira, 25 - Assessoria
Sérgio Longen esteve vistoriando as obras nesta quinta-feira, 25 – Assessoria

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, visitou, nesta quinta-feira (25/05), as obras do Sesi SST (Centro de Referência de Inovação em Saúde e Segurança no Trabalho), que tem previsão de entrega para outubro deste ano, e o prédio da Escola da Construção do Senai, que está em fase de conclusão e será inaugurada nos próximos dias. Localizadas em Campo Grande (MS), as duas edificações somam investimentos da ordem de R$ 26 milhões e darão suporte ao desenvolvimento da indústria de Mato Grosso do Sul.

“São obras que refletem as metas do Sistema Fiems para apoiar e desenvolver o setor industrial no nosso Estado, dando mais competitividade às empresas e abrindo um leque de novas oportunidades”, avaliou Sérgio Longen, que estava acompanhado do superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, do diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, do diretor-corporativo da Fiems, Cláudio Jacinto Alves, e do coordenador de engenharia da Fiems, Júlio da Cas Netto.

Sobre o Sesi SST, o presidente da Fiems afirmou que os serviços de gestão na área de saúde e segurança do trabalhador é uma grande demanda do empresário. “Nossa previsão é entregar essa obra até o final do ano, porque trata-se de uma demanda urgente da indústria. Esse setor do Sesi funciona hoje dentro do Edifício Casa da Indústria e entendemos que, a partir do momento da entrega, vamos ampliar e profissionalizar cada vez mais as relações do trabalho”, analisou.

Localizado na Avenida Afonso Pena, o Sesi SST será um centro de referência e de inovação em saúde e segurança no trabalho e conta com investimentos de R$ 7 milhões, tendo 1,2 mil metros quadrados de área construída, com três pavimentos. A estrutura terá salas de treinamento, salas de atendimento em saúde, salas de reunião e auditório, tudo planejado para atender às necessidades das empresas instaladas no Estado, como cursos de educação continuada relacionados à saúde e segurança do trabalho.

“Teremos aqui um espaço de integração permanente com a indústria de Mato Grosso do Sul, criando soluções juntamente com o empresário, em uma interação conjunta. É uma obra grandiosa não só pelo projeto arquitetônico, mas pelo grandioso trabalho de inovação que o Sesi já está formatando para a indústria se tornar cada vez mais competitiva. O projeto é ousado, moderno, arrojado e traduz o que será desenvolvido aqui”, emendou o superintende do Sesi, Bergson Amarilla.

Escola da Construção

Na Escola da Construção do Senai, cuja obra já está concluída e depende de pequenos detalhes como a finalização do acabamento e disposição do mobiliário para ser inaugurada, o presidente da Fiems declarou que o espaço superou a expectativas de quando foi concebido. “Me deixa bastante feliz ver que a obra atendeu a nossa expectativa. Entendo que a Construção Civil do Estado merece uma escola dessa magnitude, que foi idealizada com ajuda dos empresários do segmento. Agora, eles verão atendida a demanda por capacitação e profissionalização da mão de obra, um feito muito importante para o nosso Estado”, comemorou, prevendo o início dos cursos na área da construção civil para o segundo semestre deste ano.

“Temos uma satisfação grande de perceber que existe uma grande demanda, e que já vem se manifestando, nas soluções que serão oferecias por essa escola, e a nossa expectativa é que, assim que inaugurada, já tenhamos o funcionamento pleno de todas as instalações disponíveis”, acrescentou do diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero.

Para o diretor-corporativo da Fiems, Cláudio Jacinto Alves, a Escola da Construção conta com o que há de mais moderno em termos de capacitação da mão de obra para atuar no segmento do Estado. “A dificuldade do empresário em encontrar mão de obra local qualificada para atuar nas obras será suprida a partir do momento em que os cursos se iniciarem”, apostou.

Com custo total de R$ 19 milhões, a Escola da Construção do Senai vai disponibilizar, em um só espaço, 2.100 vagas em 12 cursos em todas as áreas que envolvem a construção civil e a indústria do mobiliário. No primeiro ano de funcionamento, serão oferecidos cursos de pedreiro, armador, carpinteiro, pintor, encanador, gesseiro, técnico em edificações, tecnólogo em construção, técnico em móveis, marceneiro, desenhista em CAD e técnico em segurança do trabalho, nos períodos matutino, vespertino e noturno.

A obra inclui cantina, sala de professores, sala de reunião, setores administrativos, secretarias, coordenação pedagógica, suporte de informática, coordenação, diretoria, reprografia, almoxarifado e sala de prestadores de serviço. Também estão previstos um auditório com capacidade para 121 pessoas, biblioteca, 11 salas de aula (três salas no térreo e oito salas no pavimento superior), um laboratório didático, uma oficina de instalações prediais, uma oficina de pintura, duas oficinas de pedreiro, uma oficina de gesso, uma oficina de carpintaria de obras e uma oficina de armador.