Prefeitura de Dourados registra furto de 12 tampas de ‘bocas de lobo’ na Via Parque

Doze bocas de lobo tiveram as tampas furtadas na madrugada desta segunda-feira em Dourados – Foto: Divulgação/Semsur

A Prefeitura de Dourados registrou na manhã desta terça-feira (24) o furto de 12 tampas de ‘bocas de lobo’ localizadas na Via Parque, região da Vila Cachoeirinha. A situação foi encontrada por equipes da Semsur (Secretaria Municipal de Serviços Urbanos) que realizam operação tapa-buraco naquela via.

Segundo o secretário Joaquim Soares, está insustentável a situação de vandalismo ocorrido contra o patrimônio público no município. “Quase todo dia nossas praças, parques, ruas, postes, sofrem danos causados por pessoas mal-intencionadas. Só podemos imaginar que isso é uma ação orquestrada, com propósito de prejudicar os trabalhos”, disse.

Joaquim lamentou muito que ainda exista este tipo de ação sorrateira e destacou a suspeita de ação conjunta nestes furtos ocorridos na madrugada de segunda para esta terça-feira. “São 12 tampas que pesam em média 40 quilos. Como que alguém vai carregar isto se não for com um carro, com várias pessoas em conjunto. Registramos o Boletim de Ocorrência e vamos investigar, mais uma vez”, disse.

Depois de uma grande ação de recuperação da malha com o tapa-buraco e a identificação de pontos de vazamento de água que levaram a acionar a Sanesul, a Via Parque estava mais uma vez com a manutenção em dia. Agora, segundo o secretário, deve haver a busca pela recuperação das tampas, uma vez que a confecção de novas leva tempo e gastos a mais.

“Pedimos que a população colabore com denúncias, com a conscientização. Estamos sendo atacados e o maior prejudicado é o cidadão de bem que trabalha com afinco, com amor”, finalizou o secretário.

A atual administração tem enfrentado furtos de fiação nas estruturas de iluminação das avenidas, furtos de bueiros e bocas de lobo, depredação de locais públicos e até danos às lâmpadas nos postes. Concomitantemente, surgem diariamente nas redes sociais reclamações sobre a falta de reposição destes materiais, de forma que a administração tenha sobrecarga na demanda por manutenção.