Prefeita destaca gestão promissora em meio a crise

Prefeita Délia Razuk no programa A Hora da Verdade, na emissora Grande FM, no sábado - Foto: Luiz Radai/Assecom
Prefeita Délia Razuk no programa A Hora da Verdade, na emissora Grande FM, no sábado – Foto: Luiz Radai/Assecom

No programa de entrevistas de uma emissora de rádio, a prefeita falou das finanças municipais, destacou avanços e conclamou parcerias

Em meio a uma crise, muitos avanços. Foi este o resumo da entrevista concedida pela prefeita de Dourados, Délia Razuk, no programa A Hora da Verdade, na emissora Grande FM, no sábado (3). Com explanação clara das dificuldades econômicas que o município também enfrenta, principalmente pela diminuição de repasses do Estado e União e pelas dívidas herdadas da administração anterior, Délia fez questão de destacar o potencial humano da maior cidade do interior do MS e pontuou os avanças em cada setor dentro de uma administração com pouco mais de cinco meses de gestão.

Como panorama futuro, também ofuscado pelos pareceres econômicos não muito animadores, a prefeita destacou que a responsabilidade por cuidar de Dourados é de todos e convocou os representantes da cidade a lutarem pelo município e cobrarem as respectivas responsabilidades, tanto quanto a atual gestão tem sido cobrada.

“É triste, por exemplo, quando visitamos parques e praças, presenciar todo o vandalismo que acomete estas localidades. A população é responsável também por aquilo que tem. O patrimônio público é do povo. Às vezes critica-se muito, faz-se pouco. Preza-se muito o concreto, a pavimentação, mas como temos visto em muitos prédios públicos, o abandono, a falta de atividades, o esquecimento. Isto não deve ser assim”, analisou a prefeita, convocando população, imprensa, classe política e servidores a reerguer Dourados. “Estamos todos do mesmo lado”.

Para reforçar estas afirmações, a prefeita ressaltou os serviços que têm sido executados pela Prefeitura, mesmo com as dificuldades. A revitalização dos parques, a retomada das obras de Ceim’s, o aumento de vagas para as crianças com as instituições conveniadas, a implantação da Policlínica de Atendimento Infantil (PAI) e a melhoria do atendimento na UPA, elogiada recentemente pela vereadora Daniela Hall, a implantação em andamento do segundo Conselho Tutelar na cidade, entre outros avanços, foram pontuados.

“Graças aos esforços para humanização do setor de saúde temos colhido frutos. Cuidar das pessoas é primordial e, com isso, estamos revitalizando nossos espaços, readequando uma estrutura que em muitos lugares está precária. Continuamos realocando pessoal, estrutura, enfim, é grande o desafio, mas vamos arrumar a casa”, pontuou a prefeita.

Entrando no sexto mês de administração, foi destacado também o início dos trabalhos dentro do projeto Bairro a Bairro, já com duas edições, as atividades do Centro Popular de Cultura, Esporte e Lazer Jorge Antônio Salomão, o Jorjão, a retomada do Interdistrital de futebol e outras atividades de fomento à cultura e ao esporte. “Esporte e cultura afastam crianças e adolescentes do ócio e de outras coisas ruins”, isto é importante.

A prefeita lembrou o serviço essencial e quase que inédito realizado na Reserva Indígena, com a recuperação das ruas, transporte de universitários e ações de resgate da cultura dos índios.

Na área rural, além do próprio Bairro a Bairro, a prefeita falou sobre o direcionamento dos recursos do Fundersul para recuperação das estradas vicinais. “A nossa grande riqueza é a agricultura e dar estrutura aos produtores é fomentar a nossa economia”, disse. A prefeita falou ainda das inúmeras ações dos projetos e parcerias da Agricultura Familiar que tem proporcionado saídas também para os pequenos produtores.

Diante do problema crônico dos buracos, a prefeita destacou a idade da malha asfáltica em Dourados, mas ressaltou todas as ações para recuperação das vias realizadas em cinco meses. “Tivemos um tapa-buracos emergencial, depois uma licitação e agora aguardo do Estado mais R$ 5 milhões para tapar buracos. Sei que temos um grande problema, porque buracos impactam em todos os setores – saúde, educação, comércio, mas é um problema que precisa ser resolvido e estamos trabalhando”, disse a prefeita, considerando injustas muitas críticas recebidas, uma vez que os esforços são gigantescos em meio à crise.

Finanças

Diante da iniciativa de fomentar a transparência, foi feita apresentado um panorama financeiro da administração atual. Segundo a Secretaria de Fazenda, uma redução na folha de pagamento foi conquistada no primeiro mês de 2017, inclusive com a diminuição de 696 para 520 cargos comissionados. No entanto, havendo de honrar compromissos do exercício anterior, como férias de enfermeiros e professores, demissão de comissionados e secretariado, contribuições previdenciárias e fornecedores da Saúde que não receberam da administração passada, além da falta de alguns repasses do Governo do Estado, a atual administração viu um aumento na casa dos R$ 4 milhões nas despesas do início do ano e, no quadrimestre, uma perda de receita da ordem de R$ 12 milhões.

Segundo a Secretaria de Fazenda, ainda para 2017, em razão de uma crise global, o repasse do ICMS caiu 0,68%, gerando um impacto de R$ 10 milhões/ano nas receitas. Além disso, a Confederação Nacional dos Municípios já informou a Prefeitura de Dourados que haverá ainda uma diminuição de até 3,5% nos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios). O impacto, já que todo recurso vinculado a estas transferências sofre diminuição de repasse, deve ser sentido no Fundeb, repasses para a saúde e outros.​

Assim, com a previsão de baixa arrecadação e já atingindo limites previstos em lei, a Prefeitura de Dourados emitiu decreto de contenção de gastos, recentemente.

Diante disso, e com as constantes cobranças em relação às convocações do concurso, a prefeita explicou que não há qualquer possibilidade de tomar medida além do que é possível financeiramente e destacou a responsabilidade social e administrativa que tem com Dourados.

“Enfrentamos todos os problemas que temos e não vou tomar nenhuma posição sem conversar com as respectivas categorias. Valorizo muito os nossos servidores, tenho muito orgulho de saber que as pessoas têm bons salários, isso inclusive faz parte de um trabalho meu no passado, mas agora é momento de pensarmos saídas e parcerias ante a crise”, finalizou a prefeita.