Postos de saúde devem abrir no feriadão, diz vereador

Vereador pede abertura de postos em regiões diferentes no período de feriado - Foto: Éder Gonçalves
Vereador pede abertura de postos em regiões diferentes no período de feriado – Foto: Éder Gonçalves

Quando chega período de feriadão, decreto de ponto facultativo da prefeitura fecha todos os postos de saúde, e Dourados, com mais de 220 mil habitantes, mantém aberta apenas a única Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Isso tem provocado transtornos para famílias que moram em regiões distantes e que encontram dificuldade de ter atendimento médico perto de casa.

Para amenizar esse problema, o vereador Marçal Filho (PSDB) sugere à Secretaria Municipal de Saúde a abertura de postos em regiões diferentes da cidade, como as unidades Seleta (Grande Flórida), Vila Rosa e Parque das Nações. “Fazendo isso, o município levaria um atendimento mais humanizado à população”, explica o vereador, alertando, também, sobre a necessidade das unidades manterem farmácia com distribuição de medicamentos.

Quem mais sofre em período de feriadão são as famílias mais pobres. Muita gente não dispõe de carro e levar um ente enfermo de bicicleta, por exemplo, é uma tortura, principalmente quem mora em bairros distantes da UPA, como Jardim Novo Horizonte, a 9 quilômetros, Monte Carlo, a 12 quilômetros, Laranja Doce, a 11 quilômetros. Ônibus no feriadão tem frota reduzida e torna-se moroso usar esse meio de transporte.

A cada ano surgem bairros distantes, a população aumenta e Dourados mantém a mesma característica no que se refere à prestação de serviços de saúde à comunidade. Para Marçal, o pensamento de “cidade pequena” deve acabar, principalmente por ser tratar de um município polo e que objetiva cada vez mais esse status.

Posto da Seleta é uma das unidades que deveriam abrir em período de feriadão, diz Marçal - Divulgação
Posto da Seleta é uma das unidades que deveriam abrir em período de feriadão, diz Marçal – Divulgação

Nos anos 2000, quando Dourados tinha 165 mil habitantes, conforme o IBGE, o município mantinha aberto no feriadão apenas o Pronto Atendimento Médico (PAM), unidade que na época oferecia serviço médico de baixa e média complexidade como a UPA. Passados 17 anos e com 56 mil moradores a mais, quantitativo que ultrapassa o número de habitantes de Nova Andradina e Naviraí, Dourados mantém o mesmo atendimento aos usuários do SUS, com uma única unidade aberta.

Para Marçal é preciso planejar o município de acordo com a atual realidade e com a necessidade da população, por isso a necessidade de abrir postos de saúde em regiões estratégicas, para melhor atender os moradores. Conforme avalia o parlamentar, a gestão municipal de prestação de serviço deve ser contemporânea e não baseada nos moldes do passado, pelas antigas administrações municipais.