Família da vítima acusa autoridades de cometer crime racial

Willie McCoy foi atingido por vários tiros – Foto: Reprodução / Twitter

A polícia californiana de Vallejo, cidade localizada a cerca de 50km a norte de San Francisco, matou a tiros um rapper de 20 anos que estava dormindo em seu carro do lado de fora de um Taco Bell, rede norte-americana de fast food mexicano. Segundo informações reveladas pelas autoridades nesta quarta-feira (13), seis agentes locais dispararam “vários tiros” contra o jovem, que foi identificado como Willie McCoy. O caso ocorreu no último sábado(9) por volta das 22h30 (horário local).

O departamento de polícia de Vallejo informou que a medida foi tomada porque McCoy não respondeu quando os agentes pediram para ele manter as mãos visíveis. Na versão policial, eles só abriram fogo depois que o rapaz teria pego uma arma. A equipe estava atendendo um chamando contra McCoy depois que um funcionário da Taco Bell ligou para a polícia e disse que um homem estava parado em seu carro na frente do restaurante.

No entanto, a família do rapper acusa a polícia de cometer um homicídio por motivos raciais e que não havia justificativa para o uso de força letal contra alguém que estava dormindo e não era uma ameaça. “Não houve tentativa de encontrar uma solução pacífica”, disse Marc Mc Coy, irmão mais velho de Willie, ao jornal “The Guardian”, ressaltando que “o trabalho da polícia é prender pessoas que infringem a lei, não fazer a lei com suas próprias mãos”.

A morte do rapper norte-americano segue numerosos escândalos envolvendo suposta brutalidade policial contra moradores negros em Vallejo. Um vídeo em 2017 capturou um oficial da região atirando no rosto de um homem negro sem motivos aparentes.

Da AnsaFlash