Polêmica lei leva Austrália a oferecer refúgio para cidadãos de Hong Kong

Medida foi criticada por Pequim, que fala em interferência

Mesmo com imposição da nova lei, cidadãos continuam a fazer protestos contra a China – Foto: EPA

A Austrália anunciou nesta quinta-feira (09) uma série de medidas para oferecer refúgio para cidadãos de Hong Kong por conta da implementação da polêmica lei de segurança nacional pela China.

Sydney anunciou a prorrogação por cinco anos dos vistos de quase 10 mil cidadãos do país que estão em seu território e a suspensão do acordo de extradição, além de emitir um aviso de viagem pedindo para que os australianos retornem por conta dos “riscos” da nova legislação.

Segundo o primeiro-ministro, Scott Morrison, as medidas foram tomadas porque a lei imposta pela China “constitui uma fundamental mudança de contexto” em Hong Kong.

Assim, o governo australiano é mais um a tomar medidas práticas após a entrada em vigor da legislação, o que ocorreu no dia 30 de junho. Além de Sydney, Estados Unidos, Reino Unido e Canadá anunciaram sanções e medidas contra a China – e a França está estudando ações também.

Ao comentar as medidas, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, afirmou que “os assuntos de Hong Kong são assuntos internos da China e ninguém tem o direito de interferir”.

A polêmica nova lei inclui sete novos artigos na Lei Básica de Hong Kong, a pequena Constituição do território. Os pontos mais polêmicos tem a ver com as questões de secessão, traição, subversão e terrorismo, com a ampliação do rol de atos considerados “contra o Estado” – bem como o endurecimento das punições.

Além disso, Pequim já começou a instalar escritórios de segurança e inteligência no local. Esses órgãos não se submeterão às autoridades de Hong Kong, mas sim se reportarão diretamente para o governo chinês.

Para os governos estrangeiros, a legislação é uma forma de acabar com os protestos contra Pequim, que são realizados há anos, e minam a forma de governo do “um país, dois sistemas”.

Da AnsaFlash

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui