Planalto diz que Bolsonaro não quis criticar carnaval com vídeo no Twitter

Presidente divulgou vídeo polêmico de bloquinho no Twitter – Foto: EPA

Após Jair Bolsonaro desatar uma polêmica nas redes sociais ao publicar um vídeo com cenas pornográficas gravadas no carnaval, o Palácio do Planalto tentou amenizar a crise e informou ontem (6) que o presidente não teve intenção de criticar a celebração popular. Em uma nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom-PR) disse o presidente quis “caracterizar uma distorção clara” do espírito de alegria comumente associado ao carnaval.

“Não houve intenção de criticar o carnaval de forma genérica, mas sim caracterizar uma distorção clara do espírito momesco, que simboliza a descontração, a ironia, a crítica saudável e a criatividade da nossa maior e mais democrática festa popular”, ressaltou o comunicado. “No vídeo, postado pelo presidente da República em sua conta pessoal de uma rede social, há cenas que escandalizaram, não só o próprio presidente, bem como grande parte da sociedade. É um crime, tipificado na legislação brasileira, que violenta os valores familiares e as tradições culturais do carnaval”, completou a nota.

Na noite de terça-feira (5), Bolsonaro postou em sua conta no Twitter um vídeo com cenas obscenas de um homem urinando em outro, seminu, durante a passagem de um bloco de carnaval.

“Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”, escreveu o presidente.

A postagem imediatamente começou a repercutir nas redes sociais, com internautas se posicionando a favor ou contra o post do presidente, com as três primeiras hashtags dos Trending Topics sendo #ImpeachtmentBolsonaro, #BolsonaroTemRazão e #goldenshowerpresident.

Os que concordaram diziam que falta “moralidade no carnaval”. Já os que criticaram alegaram que Bolsonaro fez um juízo de valor sobre um episódio isolado que não representa toda a festa de carnaval no Brasil. O presidente também foi criticado por seus ataques à comunidade LGBT e alguns chegaram a levantar a possibilidade de impeachment por quebra de decoro. O vídeo foi gravado durante a apresentação o bloco carnavalesco “BloCU”, em São Paulo. “O BloCU lamenta que o atual presidente do Brasil tenha escolhido, de forma irresponsável e indecorosa, um fato isolado sobre o carnaval de 2019 para postar em suas redes sociais”, disse o grupo, em uma nota. O comunicado também afirma que nenhum problema de segurança ou ofensa foi reportado durante o transcurso da festa. Segundo o grupo, a atitude de Bolsonaro “incita o ódio à comunidade LGBT+ e desmerece a voz das ruas na maior e mais importante festa brasileira, o carnaval, uma manifestação política por natureza e vitrine cultural da primeira economia da América do Sul”.

Da AnsaFlash