Home Cidades/MS Pesquisadores da UEMS analisam fogo histórico no Pantanal

Pesquisadores da UEMS analisam fogo histórico no Pantanal

Os professores e pesquisadores da UEMS, Profa. Dra. Patrícia Vieira Pompeu e Prof. Dr. Guilherme Silvério Aquino de Souza, docentes da graduação em Engenharia Florestal na UEMS/Aquidauana, dedicam-se a estudar o Pantanal, e na sexta edição da Revista Corumbella fizeram a análise do fogo histórico no Pantanal.

O que a ciência já sabe sobre o assunto?

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), um volume de área que corresponde a 27% do Pantanal, considerando Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, foi consumido pelo fogo em 2020. Com o crescente número de queimadas, a Ciência de MS tem se desdobrado para buscar respostas sobre o assunto, que envolve diversas áreas de conhecimento, como a química, ecologia, engenharia, economia e meteorologia.

A professora Patrícia Vieira Pompeu relata que, atualmente, ela e seu colega, o professor Guilherme Silvério Aquino de Souza, estão liderando a continuação de uma pesquisa com a contribuição de outros professores do curso de Engenharia Florestal da UEMS e de um pesquisador da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), João Carlos Pires-Oliveira. “Estamos utilizando uma metodologia mais robusta, em que rodamos os dados utilizando modelagem matemática”, destaca a professora, referindo-se à pesquisa de zoneamento do risco de incêndio para o Pantanal.

Os docentes reúnem dados de toda a área do Pantanal e, a partir do mapa base de ocorrências de incêndios, utilizam algoritmos para relacionar a dados ambientais, como derivados de temperatura, precipitações e dados topográficos, como altitude, orientação da encosta e declividade.

“A partir da junção desses dados, o modelo gera a área com maior probabilidade de ocorrência e propagação de incêndios. Iremos gerar mapas em diferentes períodos de tempo para analisar os padrões espaciais e temporais. Assim, além de gerar um mapa com a probabilidade para o presente, vamos apresentar um mapa de ocorrência para o futuro, auxiliando para um melhor direcionamento da prevenção desses incêndios. Os resultados estão prontos, e, em breve, iremos publicá-los para que possam contribuir com as políticas públicas e, também, ONGs (organizações não governamentais) que trabalham com a prevenção e combate dos incêndios florestais”, completa Patrícia.

Para conhecer a reportagem completa e saber mais sobre o assunto, acesse a versão digital da Revista Corumbella.

A Revista Corumbella é elaborada pelo projeto Mídia Ciência, da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), em parceria com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Na sexta edição, a publicação conta com o apoio da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, via Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Definição de Cookie

Abaixo você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticoNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de otimizar a usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e FaceBook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AnúnciosNosso site pode utilizar cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosAlgum conteúdo publicado em nosso site pode incluir cookies de terceiros e de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.