Visita ao mangueiro digital e app Precoce MS, um dos produtos do Smart Livestock Embrapa – Foto: Alexandra Oliveira

Nesta sexta-feira, 23, a partir das 8 horas, acontece em Campo Grande (MS) o Fórum Agropecuária 4.0. O evento integra a programação do Circuito Técnico da Expo MS Rural, realizado no Tatersal de Elite do Parque de Exposição Laucídio Coelho. O Fórum é uma realização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Governo do Estado de MS, Acrissul e Embrapa.

Gratuitamente e sem inscrições prévias, os interessados ouvirão sobre a “importância, os entraves e os desafios do agronegócio no Brasil”, com o secretário de Governo de MS e empresário rural, Eduardo Riedel; as “inovações tecnológicas para o agronegócio”, com o pesquisador em cadeias produtivas da Embrapa, Guilherme Malafaia; e o conceito “pecuária 4.0 e os ecossistemas digitais”, com o analista de tecnologia da informação (TI) também da Embrapa, Camilo Carromeu.

“Temos mudanças nos ambientes tecnológico e organizacional e as instituições precisam se adequar para atender as demandas tanto do consumidor quanto do produtor, da indústria, da sociedade como um todo. Tais demandas passam pelo desenvolvimento de tecnologias sustentáveis e a Embrapa tem soluções de automação, sensoriamento, inteligência territorial, dentre outras, que estão nesse contexto”, afirma Malafaia.

Ele menciona também o compromisso da Empresa com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em que foi realizada uma avaliação na programação de pesquisa e inovação da instituição para mapear o alinhamento com os ODS e as metas assumidas pelo País. Ainda para o pesquisador, as transformações afetam o desempenho dos negócios e isso, consequentemente, impacta nas instituições de Ciência e Tecnologia.

Em sequência ao tema, Carromeu comenta que uma das maiores diferenças entre a pecuária 1.0 e a 4.0 é “aliar tecnologias disruptivas para entregar mais valor aos elos da cadeia produtor, do produtor ao consumidor final”. Na Embrapa, o processo de inserção começou há 15 anos e, desde 2016, tomou mais fôlego com a realização de eventos como Ideas For Milk, InovaPork e Hackathon Embrapa, a criação do mestrado profissional em Mato Grosso do Sul em pecuária de precisão, uma parceria Embrapa e UFMS, e por fim, a criação dos ecossistemas digitais.

“O ecossistema é um rearranjo nosso para apoiar a transformação digital, ajudando a orquestrar este paradigma, pois ele trabalha com tecnologias integradas, plataformas que ligam parceiros, produtores, fornecedores, softwares e demais elos”, define Carromeu. Um dos exemplos é o Smart Livestock, um ecossistema digital da pecuária, que viabiliza soluções digitais, por meio de parcerias com iniciativas pública e privada, a fim de fomentar a transformação da pecuária.

Conemi – Também amanhã, Guilherme Malafaia participa do Congresso Nacional da Engenharia Mecânica e Industrial (XIX Conemi) com um minicurso sobre a “indústria 4.0 na agropecuária”. O pesquisador levará, das 14 às 18 horas, um projeto-piloto dentro da cadeia produtiva da carne bovina, sob a ótica 4.0. A iniciativa é uma parceria Embrapa e Fundação Certi (SC) e integra a Rede Avançada de Manufatura do Ministério da Ciência e Tecnologia.

O Conemi teve início no dia 21, na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande. Além de palestras e minicursos, ele trouxe duas visitas técnicas, uma direcionada para o Rally dos Sertões e outra à Embrapa Gado de Corte, onde os congressistas conheceram a estrutura de pecuária de precisão da Unidade, que envolve mangueiro digital, balança de passagem, sistemas informatizados e outras tecnologias. Pesquisador na área e pioneiro no assunto, Pedro Paulo Pires guiou os visitantes pelas instalações.