Pesquisadoras da UFGD lançam livro Jaity Muro em edição bilíngue (português/kaiowá)

Júnia Pereira, Rossandra Cabreira e Karla Neves, autoras do livro em edição bilíngue – Divulgação

Nesta quarta, 27/04, às 19h, será lançado o livro Jaity Muro, de autoria das artistas, professoras e pesquisadoras da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) Júnia Pereira, Karla Neves e Rossandra Cabreira. O evento vai acontecer de forma virtual, pelo canal no Youtube da Editora Javali. No dia 29/04, às 17h, o lançamento será na Escola Indígena Guateka, na Reserva Indígena de Dourados. Por fim, em 30/04, às 19h, o trabalho será lançado no Casulo – Espaço de Cultura e Arte, dentro da programação Arte Resistência.

O livro registra, em edição bilíngue, a dramaturgia do espetáculo de mesmo nome, Jaity Muro, performance criada em 2018, em Dourados, pelo grupo Orendive Teatro Intercultural. Jaity, na língua kaiowá, significa “derrubamos” ou “derrubemos”, Jaity Muro pode ser traduzido então por “Derrubemos Muro”. De acordo com as pesquisadoras, “a mistura de termos em kaiowá e em português no título do trabalho expressa o desejo de uma criação artística intercultural que pautou o projeto de criação”. A dramaturgia, criada em sala de ensaio, partiu da experiência pessoal de duas mulheres, uma kaiowá (Rossandra Cabreira) e outra não indígena (Júnia Pereira), com a cidade de Dourados/MS, acreditando na premissa feminista de que “o pessoal é político”. As memórias e vivências com o espaço/tempo inscritas no corpo das atrizes ganham um espaço de elaboração narrativa, e revelam diferenças e semelhanças entre o espaço urbano douradense e o espaço da Reserva Indígena.

As autoras fazem parte do projeto de pesquisa da UFGD intitulado “Dramaturgias, lugares de fala e processos de criação”, vinculado ao curso de Artes Cênicas, o qual se volta, sobretudo, para dramaturgias produzidas por mulheres ou compreendidas a partir de marcadores de gênero, numa perspectiva interseccional com marcadores de raça/etnia, classe e orientação sexual.

A publicação tem prefácio da professora da UFGD Graciela Chamorro e fotos de Lucas Oliveira e Raique Moura. A tradução para o kaiowá foi feita por Rossandra Cabreira e revisada por Graciela Chamorro, Eliane Berendina Lomán de Barros e Vânia Pereira. O projeto tem o patrocínio do Fundo de Investimentos à Produção Artística e Cultural de Dourados (FIP).

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.