Evento terá atividades físicas, apresentações culturais, ações socioambientais, feira de trocas e debates

São esperadas pelo menos 100 pessoas para o Pedala Fronteira 2020 – Divulgação

Como forma de proporcionar um canal de diálogos entre jovens e as demais gerações e promover o debate sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Grupo de Educadores Ambientais sem Fronteiras (Geasf) organiza nessa sexta-feira (28) e sábado (29) o Pedala Fronteira 2020. Os eventos acontecem na Praça Álvares Mascarenhas, Paço Municipal de Bela Vista, Escola Municipal Jarbas Passarinho, Cine São José e na Escuela Nuestra Señora Perpétuo Socorro (Paraguai).

Essa atividade é resultado de uma articulação da Mupan – Mulheres em Ação no Pantanal, junto ao Programa Mulheres 2030, para “alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”, conforme o ODS 5. A Wetlands International Brasil no marco do Programa Corredor Azul incorporou essa agenda. Umas primeiras atividades foi realização de uma oficina em 2017.

“A oficina foi decisiva para o evento deste ano. Foi por meio dela que compreendemos e entramos em contato com o que são os ODSs. Desde então nos comprometemos em levar para nossa comunidade fronteiriça o debate sobre os mesmos”, pontua Patrícia Lima Figueiredo Ortelhado, pedagoga, educadora ambiental e coordenadora brasileira do Geasf.

O evento começa na sexta-feira, a partir das 17h, com o Entardecer Cultural na Praça Álvares Mascarenhas. Haverá apresentações culturais brasileiras e paraguaias, feira de agricultura familiar, estandes com projetos de escolas e apresentação de calouros.

No sábado as atividades começam logo cedo, às 7h, com o V Pedala Fronteira. Do lado paraguaio os ciclistas saem da Escuela Nuestra Señora Perpétuo Socorro e do lado brasileiro o ponto de partida é no Paço Municipal de Bela Vista. O percurso será finalizado na Escola Municipal Jarbas Passarinho, onde será feita uma roda de tereré.

A partir das 12h30 terá início uma feira de trocas com itens dos próprios participantes do Pedala Fronteira 2020. Entre 13h e 17h haverá os Diálogos Intergeracionais, onde debaterão os ODSs sensíveis a gênero. Serão formados cinco grupos de debate: o grupo 1 debate o ODS 2, Fome Zero e Agricultura Sustentável; o grupo 2 discute o ODS 5, Igualdade de Gênero; o grupo 3 fala sobre o ODS 6, Água Potável e Saneamento; o grupo 4 discorre sobre o ODS 11, Cidades e Comunidades Sustentáveis; e o grupo 5 debate o ODS 13, Ação Contra Mudança Global do Clima.

“Com a capacitação tivemos o norte necessário para planejarmos como seriam as oficinas no dia do evento. Serão dois mediadores, um brasileiro e um paraguaio, em grupos de 20 a 25 pessoas. Após 50 minutos, um grande grupo será formado para sistematizar o que foi debatido e propor ações locais para o enfrentamento das problemáticas expostas”, relata.

São esperadas pelo menos 100 pessoas para o Pedala Fronteira 2020.

Programa Mulheres 2030

A Mupan está como instituição articuladora no Brasil para o Programa Mulheres 2030. O Programa está sendo viabilizado a partir de um consórcio entre a Aliança do Gênero e da Água (GWA – Gender and Water Alliance), a Coalização Global pelas Florestas (GFC – Global Forest Coalition), as Mulheres Envolvidas com o Futuro Comum (WECF – Women Engage for a Common Future), os Princípios de Empoderamento de Mulheres (WEP – Women’s Empowerment Principles); e o Fórum Ásia-Pacífico sobre Mulheres, Direito e Desenvolvimento (APWLD – Asia Pacific Forum on Women, Law and Development), o qual conta com apoio da Comissão Europeia. O Programa envolve 52 países em todos os continentes, sendo que na América Latina são: Bolívia, Paraguai, Chile, Colômbia, Panamá e México, além do Brasil.

O objetivo do programa Mulheres 2030 é avançar nos processos de desenvolvimento sustentável local e regional, equitativo, inclusivo e ambiental. Desenvolvendo a capacidade das organizações da sociedade civil de mulheres e envolvê-las nos processos políticos do Acordo climático de Paris e Agenda 2030. Para atingir esses objetivos, há a facilitação e a participação no desenvolvimento e monitoramento de políticas, mobilização e o compartilhamento das melhores práticas.

Deputado Zé Teixeira