Parquinhos serão construídos em bairros carentes de Campo Grande com recurso de ações trabalhistas

Primeira obra começou este mês e conta com 12 equipamentos. Meta é evitar exploração do trabalho infantil e marginalização de crianças e adolescentes

O dinheiro de multas e acordos fechados em processos trabalhistas será destinado para a construção de playgrounds em regiões periféricas de Campo Grande. O objetivo é instalar 40 parquinhos em bairros de classes D e E, oferecendo opções de lazer e ocupação para crianças e adolescentes vulneráveis à exploração do trabalho infantil e à marginalização.

Para viabilizar o projeto, um convênio entre o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS), o Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região e a Prefeitura Municipal de Campo Grande será assinado nesta quinta-feira (12), às 11h, na sede do Tribunal, no Parque dos Poderes. Estarão presentes o procurador-chefe do MPT-MS, Leontino Ferreira de Lima Junior, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho, desembargador João de Deus Gomes de Souza, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, e o secretário Municipal de Governo e Relações Institucionais, Antonio Lacerda Alves.

A obra do primeiro parquinho começou este mês no bairro Vida Nova III, sendo localizada entre as ruas Anízia Floresta e Takeshi Higuchi. O playground terá 168m² e contará com 12 equipamentos: quatro balanços, duas gangorras, um escorregador, tubo, escada de cordas, abrigo duplo, casinha e barras horizontais. O investimento é de R$ 43 mil e cobre as despesas com a limpeza da área, compactação de aterros, pisos em areia, plantio de grama, aquisição dos brinquedos de eucalipto tratado, bancos de alvenaria e lixeiras.

Conforme a parceria, serão construídos três tipos de parquinhos. O módulo 1 tem seis unidades de equipamentos de lazer em 128m²; o módulo 2 tem 12 brinquedos em 168m², e o módulo 3 tem 24 brinquedos em 233 m² de construção. Os valores variam de R$ 26 mil a R$ 58 mil cada.

Do MPT-MS e TRT-MS