Durantes os mutirões, dezenas de caminhões de lixo são recolhidos em bairros de Dourados – Foto: Arquivo/CCZ

O trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti não para em Dourados. Mutirões com retirada de lixo e eliminação de focos do mosquito transmissor da dengue têm sido realizados frequentemente pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), com direcionamento da administração municipal. Neste sábado (11), o Parque do Lago I e II recebem a ação.

Agentes de controle de vetores, supervisores, diretoria do CCZ, com apoio da Secretaria de Saúde estarão envolvidos no mutirão.

Levantamento do CCZ, desta quinta-feira (09), aponta que são 820 casos positivos de dengue no município, o que exige alerta por parte dos órgãos públicos e da população. Três óbitos pela doença também já foram registrados no município.

Mutirões já foram realizados no Parque das Nações II, Vila Índio, Vila Rosa, região do BNH 4° Plano e Cachoeirinha, Centro e região do Estrela Verá/Jóquei Clube.

A cada ação, o CCZ recolhe cerca de 20 toneladas de lixo, entre móveis, utensílios domésticos, pneus, latas, garrafas, pets, entre outros.

A coordenadora do CCZ, Rosana Alexandre da Silva, destaca o alerta sobre o descarte de lixo a céu aberto, com favorecimento ao acúmulo de água nos recipientes quando ocorre chuva e, o ambiente propício à procriação do Aedes.

Ela enfatiza que infelizmente parte da população não tem se conscientizado sobre o assunto, mesmo diante da epidemia de dengue no município.

“A forma mais eficaz de combate a dengue é evitar a sujeira, a água parada em recipientes pelo quintal. As equipes estão diariamente de casa a casa, levando o trabalho contra a dengue, além dos mutirões pontuais, mas, o que temos notado é que alguns permanecem indiferentes”, diz a coordenadora do CCZ, observando que locais de onde já foram retiradas toneladas de lixo, em poucos dias estão poluídos novamente. “Se a população não se unir, infelizmente vamos ter mais casos e mais mortes por dengue”, diz.

Em todo o Mato Grosso do Sul, boletim da Secretaria de Estado de Saúde mostra que 68 dos 79 municípios estão em nível de alta incidência da doença.

Em Dourados, sete postos de saúde estenderam o atendimento até às 22h para atendimento por conta da epidemia enfrentada – Jardim Flórida, Jardim Maracanã, Parque das Nações II, Vila Cachoeirinha, Jardim Guaicurus e Jardim Santo André.

O CCZ segue com agenda de mutirões no município, trabalho de educação em escolas Centros de Educação Infantil Municipal, espaços públicos e intervenções em veículos de comunicação sobre o tema.

O município registra também sete casos confirmados de chikungunya, doença transmitida pelo mesmo vetor da dengue, o Aedes aegypti.