Horta cultivada no presídio semiaberto, além de ocupação aos internos, garante fornecimento ao Cras – Foto: A. Frota

Délia Razuk afirma que acordo entre Prefeitura de Dourados e Agepen traz benefícios para todos os participantes

A prefeita Délia Razuk comemora o resultado da parceria firmada entre a prefeitura, por meio da Semaf (Secretaria Municipal de Agricultura Familiar) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), especificamente para a unidade do regime semiaberto.

O programa está relacionado à produção de hortaliças e legumes, que atende em termos de consumo, a própria unidade prisional e ainda alguns setores da prefeitura, como os Cras (Centro de Referência em Assistência Social). Além disso, proporciona oportunidade de trabalho aos detentos e, com isso, a possibilidade de remissão de pena.

Délia recebeu em seu gabinete, na semana passada, o diretor do semiaberto de Dourados, José Nicácio Nascimento, que repassou à prefeita todas as informações a respeito do andamento do programa e os resultados já obtidos.  Ele lembrou ainda que se trata de uma produção orgânica que inclusive terá seu selo de garantia em breve.

A área é de três mil m² com cultivo de alface, couve, repolho, beterraba, cenoura, entre outras leguminosas. Estão também em processo de implantação, a plantação de goiaba, caju e mamão. A Agepen seleciona os custodiados e coordena as atividades enquanto que a prefeitura disponibiliza maquinas e orientação técnica.

Esse termo de cooperação mútua entre a Agepen e a prefeitura de Dourados, firmado no ano passado, chegando a praticamente um ano de execução, tem apoio, ainda, como disse o diretor José Nicácio, de pequenos produtores da região do município, Ministério Público Estadual e Agraer.

Repasse

Nesta semana, como informou o diretor à prefeita Délia Razuk, aproximadamente dois mil pés de alface serão repassados para a prefeitura, que fará a distribuição aos Cras em funcionamento no município. “Isso é motivo de comemoração porque se trata de um programa em que o beneficio é coletivo e atende quem mais necessita dele”, destacou Délia.