Acordo de cooperação técnica foi assinado na terça-feira (9) e prevê intercâmbio de informações por meio do acesso à base de dados das instituições – Assessoria

Com o objetivo de fortalecer o combate ao trabalho escravo e o trabalho infantil, o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Polícia Federal (PF) assinaram na terça-feira (9), na Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT), um acordo de cooperação técnica para desenvolver projetos e ações de interesse comum.

Entre as iniciativas previstas no documento estão a execução de ações de combate ao trabalho escravo, capacitação técnica e intercâmbio de informações por meio do acesso à base de dados das instituições.

Segundo o procurador-geral do MPT, Ronaldo Fleury, o acordo vai reverter ainda mais o trabalho coletivo das instituições em prol da sociedade. “Já existe um trabalho muito grande no caso das operações de combate ao trabalho escravo e combate ao trabalho infantil operacional, em que a Polícia Federal e o MPT trabalham juntos para combater essas duas chagas e agora, além disso, tem a cooperação no compartilhamento de informações”, explicou.

Para o diretor-geral da PF, Maurício Leite Valeixo, o documento representa a formalização de um trabalho que já vem sendo realizado há muitos anos pela PF e pelo MPT no combate ao trabalho escravo por meio de ações de fiscalização e também no combate a outros crimes trabalhistas. “A sociedade ganha em razão das dificuldades hoje que todas as instituições têm em relação a recursos humanos e financeiros e esse fortalecimento nas relações de cooperação reduz esses obstáculos e permitem que as instituições trabalhem de forma mais forte e focada nas suas respectivas atribuições”, disse.

O acordo terá duração de 60 meses mediante renovação anual.