Paraesc 2019: Parabadminton de MS mostra sua força e volta com dois pódios

A equipe de Parabadminton de MS – Foto: Lucas Castro

O parabadminton sul-mato-grossense foi além das expectativas na etapa nacional das Paralimpíadas Escolares, no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo-SP. Mato Grosso do Sul retornou com um ouro e um bronze na modalidade, que estreou nesta edição da maior competição paradesportiva escolar do mundo, organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

As disputas aconteceram de 19 a 22 de novembro e reuniram 36 competidores entre os cerca de 1,2 mil participantes do evento no geral. A delegação de Mato Grosso do Sul teve o apoio do Governo do Estado, via Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte).

A medalha dourada foi garantida por Yuki Rodrigues na classe SU5, para pessoas com deficiência nos membros superiores, sem perder ao menos um set na categoria B (15 a 17 anos). O sul-mato-grossense abriu o torneio com vitória tranquila sobre o capixaba Daniel Muniz por 2 sets a 0 (21×3 e 21×2). Na segunda partida classificatória, triunfo contra Gustavo Almeida, de São Paulo, por 2 a 0 (21×9 e 21×4).

Na semifinal, Yuki passou pelo goiano Klayfer Santana, pelo placar de 2 sets a 0 (21×13 e 21×10). O adversário da final também foi de Goiás, João Gabriel da Costa. O ouro foi conquistado pelo sul-mato-grossense de 17 anos após derrotar seu oponente por 2 sets a 0 (21×13 e 21×13). Esta foi a primeira e a última participação de Yuki nas Paraesc, por ter atingido a idade limite.

“É um momento muito feliz e inexplicável para mim, ainda mais no meu último ano, para fechar com chave de ouro, ficando no lugar mais alto do pódio. O meu professor não deixou eu brincar em quadra. Eu o escutei e no final deu tudo certo”, relata o paratleta, que treina cinco vezes por semana, das 13h às 19h30.

O treino árduo tem dado resultado. Atualmente, no ranking nacional do parabadminton adulto, estabelecido pela Confederação Brasileira de Badminton (CBBd), Yuki é o quinto colocado na categoria simples masculino e quarto na dupla masculina, ambas na classe SU5. “Acredito que com foco todos podem chegar aonde quiserem. Estou quase entrando para a seleção brasileira, se Deus quiser. Não achei que chegaria a esse patamar tão rápido, por ser novo na modalidade e agora estou vendo que consigo atingir objetivos muito maiores”, finaliza.

Analanda Mafissoli faturou o bronze também na classe SU5, pela categoria B (15 a 17 anos). O terceiro lugar veio após revés na semifinal para Marya do Carmo, do Maranhão (21×17, 14×21 e 20×22). Na fase classificatória, pelo grupo A, Analanda venceu as três partidas que disputou. Estreou com vitória sobre a catarinense Kauane Cantovinsch, por 2 a 0 (5×21 e 7×21). Depois, bateu Yasmin Dias, do Distrito Federal, pelo placar de 2 a 1 (11×21, 24×22 e 14×21) e Ana Carolina Reis, de Goiás, por 2 a 0 (22×24 e 14×21).

“Por ser a estreia da modalidade, a gente veio ver como seria e até qual fase iríamos chegar dentro da competição, mais para ambientação, só que voltamos com um quinto, terceiro e primeiro lugar. É um momento extremamente maravilhoso para nós que gostamos do parabadminton”, destaca a auxiliar técnica, Rosalba Santomo.

Segundo ela, Yuki, logo após ser campeão, recebeu convite para um período de treinamentos da seleção brasileira. “A conquista desse ouro e a proposta de treinar com os melhores do Brasil não têm como explicar, é um momento único para Mato Grosso do Sul”. A equipe de parabadminton ainda contou com Lariane Cirino (quinto lugar), de 15 anos e Lucas Samuel Alves, de 14, todos de Três Lagoas. Os quatro paratletas tiveram como técnico Roney Ferreira.

Mato Grosso do Sul fechou a competição com 23 pontos na modalidade, que o colocaram na quarta colocação por Pontuação Geral Escolar.